A BANANEIRA CAIU
Meu facão bateu embaixo
A bananeira caiu
Meu era de aço
A bananeira caiu
Cai, cai bananeira
A bananeira caiu
Caiu bananeira

A CANCELA BATEU, ESTÁ NA HORA
A cancela bateu, está na hora
Está na hora de ir embora
A cancela bateu, está na hora
Vamos embora pelo mundo fora
A cancela bateu, está na hora
Vamos com Deus e com Nossa Senhora

A CANOA VIROU, MARINHEIRO
A canoa virou, marinheiro
Ê no fundo do mar tem dinheiro
A canoa virou, marinheiro
Mas no fundo do mar tem dinheiro
A canoa virou, marinheiro
Mas se virou, deixa virar
Oi está lá, no fundo do mar

A ONÇA MORREU, O MATO É MEU
A onça morreu, o mato é meu
O mato é meu, o mato é meu
A onça morreu, o mato é meu
Onça danada morreu o mato é meu
A onça morreu, o mato é meu
O mato é meu, o mato é meu

ABALOU CAJUEIRO, ABALOU
Abalou cajueiro, abalou
Mas se abalou deixa abalar
Abalou cajueiro, abalou
Mas se abalou deixa cair
Abalou cajueiro, abalou
Mas se abalou deixa cair

ADÃO, ADÃO
Adão, Adão
Oi cadê Salomé
Adão
Oi cadê Salomé
Adão
Mas Salomé foi passear
Adão, Adão
Oi cadê Salomé
Adão
Oi cadê Salomé
Adão
Oi foi prá Ilha de Maré
Adão, Adão
Oi cadê Salomé
Adão
Oi cadê Salomé
Adão
Salomé foi mandingar

ADEUS CORINA, DÃ DÃ
Adeus Corina, dã dã
Vou me embora, vou me embora
Adeus Corina, dã dã
Como já disse que vou
Adeus Corina, dã dã
Mas prossegue o berimbau
Adeus Corina, dã dã
Dã, dã, dã, dã, dã, dã, dã

ADEUS SANTO AMARO, VOU VER LAMPIÃO JÁ VOU
Adeus Santo Amaro
Vou ver Lampião já vou
Vou ver Lampião já vou
Vou ver Lampião já vou
Adeus Santo Amaro
Vou ver Lampião já vou
Vou ver Lampião já vou, Santo Amaro
Vou ver Lampião já vou
Adeus Santo Amaro
Vou ver Lampião já vou
Vou ver Lampião já vou
Vou ver Lampião já vou

AI AI AIDÊ
Ai ai aidê
Joga bonito que eu quero aprender
Ai ai aidê
Como vai como passou
Como vai vosmecê
Ai ai aidê
Joga bonito que eu quero ver
Ai ai aidê
Aidê Aidê Aidê

AI AI AI AI
Ai ai ai ai
São Bento me chama
Ai ai ai ai
Meu sinhô me chamou
Ai ai ai ai
São Bento está chamando
Ai ai ai ai
São Bento me quer

AI AI AI AI DOUTOR
Ai ai ai ai doutor
A jogar Capoeira eu vou, eu vou
Ai ai ai ai doutor
A jogar Capoeira eu vou, eu vou
Ai ai ai ai doutor
A jogar Capoeira eu vou, eu vou

ANGOLA Ê Ê, ANGOLA Ê ANGOLA
Angola ê ê, Angola ê Angola
Angola ê ê, Angola ê Angola
Angola ê ê, Angola ê Angola
Angola ê ê, Angola ê Angola
Angola ê ê, Angola ê Angola
Angola ê ê, Angola ê Angola
Angola ê ê, Angola ê Angola
Capoeira de Angola, jogo bonito de mandingar

ANU NÃO CANTA EM GAIOLA
Anu não canta em gaiola
Nem bem dentro nem bem fora
Anu não canta em gaiola
Só canta em formigueiro
Anu não canta em gaiola
Quando ver formiga fora

APANHA A LARANJA NO CHÃO TICO TICO
Apanha a laranja no chão tico tico
Apanha com o pé
Com a mão ou com bico
Apanha a laranja no chão tico tico
Apanha com a mão
Que eu tiro com bico
Apanha a laranja no chão tico tico
Se meu amor fosse embora
Eu não fico


APANHA LÁ VAQUEIRO
Apanha lá vaqueiro
Apanha o jaleco de couro
Apanha o jaleco de couro
Na porteira do curral
Apanha lá vaqueiro
Apanha o jaleco de couro
Apanha o jaleco de couro
Na porteira do curral
Apanha lá vaqueiro
Apanha o jaleco de couro
Apanha o jaleco de couro
Na porteira do curral

AVE MARIA MEU DEUS, NUNCA VI CASA NOVA CAIR
Ave Maria meu Deus, nunca vi casa nova cair
Nunca vi casa nova cair, nunca vi casa nova cair
Ave Maria meu Deus, nunca vi casa nova cair
Nunca vi casa nova cair, quero ver casa nova cair
Ave Maria meu Deus, nunca vi casa nova cair
Nunca vi casa nova cair, nunca vi casa nova cair

AVISA MEU MANO, AVISA MEU MANO
Avisa meu mano, avisa meu mano
Avisa meu mano, Capoeira de Angola mandou me chamar
Avisa meu mano, avisa meu mano
Avisa meu mano, Capoeira de Angola mandou me chamar
Avisa meu mano, avisa meu mano
Avisa meu mano, Capoeira de Angola mandou me chamar

BAHIA QUE TEM DENDÊ
Oi Bahia que tem dendê, Bahia que tem dendê
Oi Bahia que tem dendê, Bahia que tem dendê
Bahia terra bonita, terra bom de se ver
Oi Bahia que tem dendê, Bahia que tem dendê
Bahia de Jorge Amado, Seu Pastinha e Aberré

BARAÚNA CAIU, QUANTO MAIS EU
Baraúna caiu, quanto mais eu
Quanto mais eu, quanto mais eu
Baraúna caiu, quanto mais eu
Ê valha-me Deus e a Nossa Senhora
Baraúna caiu, quanto mais eu
Ê mãe de Deus da Conceição
Baraúna caiu, quanto mais eu
Quanto mais eu, quanto mais eu

BATE PALMAS PRÁ ELE
Não maltrate este menino
Que ele é bom até demais
Escorrega na mandinga
Tropeça mas não cai
O menino é bom
Bate palmas prá ele
Ê menino é bom
Bate palmas prá ele
Ê menino é bom

BERIBA É PAU
Beriba é pau
Prá fazer berimbau
Mas Beriba é pau
Prá fazer berimbau
Beriba é pau
Prá fazer berimbau
Beriba é pau

BERIBA É PAU
Beriba é pau
É madeira de lei
Beriba é pau
É madeira de lei
Meu berimbau
É madeira de lei
Meu berimbau

BERIMBAU BATEU, ANGOLEIRO ME CHAMOU
Berimbau bateu
Angoleiro me chamou
Vou me embora que é noite
Eu não posso demorar
Eu não posso demorar
Eu não posso demorar
Minha aldeia é muito longe
Na beira do mar
Berimbau bateu
Angoleiro me chamou
Vou me embora que é noite
Eu não posso demorar
Que eu não posso demorar
Que eu não posso demorar
Moro muito longe
Mata eu tenho que passar
Berimbau bateu
Angoleiro me chamou
Vou me embora que é noite
Eu não posso demorar
Que eu não posso demorar
Que eu não posso demorar
Moro muito longe
Vamos logo vadiar


BOA VIAGEM
Adeus adeus
Boa viagem
Eu vou me embora
Boa viagem
Eu vou com Deus
Boa viagem
E com Nossa Senhora
Boa viajem
Adeus
Boa viajem
Adeus adeus

BOM JESUS DE MARIÁ
Ô Dendê, ô dendê
Ô Dendê, ô dendê
Ô Dendê, ô dendá
Jogo de Angola tem dendê
Bom Jesus de Mariá
Pai, Filho e Espirito Santo
Bom Jesus de Mariá
Ô Dendê, ô dendê
Ô Dendê, ô dendê
Ô Dendê, ô dendá
Jogo de Angola tem dendê
Bom Jesus de Mariá
Pai, Filho e Espirito Santo
Bom Jesus de Mariá
Ô Dendê, ô dendê
Ô Dendê, ô dendê
Ô Dendê, ô dendá
Jogo de Angola tem dendê

CAJUÉ
Manda Lecô
Cajué
Lecô Ioiá
Cajué
Mandá Ioiá
Cajué
Lecô

também:
Amanha eu vou
Cajué
Eu vou, eu vou
Cajué
Amanha eu vou lá
Cajué
Eu vou
Cajué
Prá jogar Capoeira

CALA A BOCA MENINO, QUE TU APANHA
Cala a boca menino, que tu apanha
Que tu apanha, que tu apanha
Cala a boca menino, que tu apanha
Que tu apanha, que tu apanha
Cala a boca menino, que tu apanha
Que tu apanha, que tu apanha
 
CAMUNJERÊ
Camunjerê
Como vai, como está
Camunjerê
Ô como vai vosmecê
Camunjerê
Como vai de saúde
Camunjerê
Prá mim é um prazer

CANARINHO DA ALEMANHA
Canarinho da Alemanha
Quem matou meu curió
Na roda de Capoeira
Quero ver quem é o melhor
Canarinho da Alemanha
Quem matou meu curió
Eu jogo Capoeira
Mas Pastinha é o maior
Canarinho da Alemanha
Quem matou meu curió
O segredo da lua
Quem sabe é o clarão do sol
Canarinho da Alemanha
Quem matou meu curió
Eu jogo Capoeira
Da Bahia a Maceió

CAPITÃO DO MATO
Quando nego fugia no mato
O sinhô mandou-lhe buscar
O nego então saçaricava
Batendo no homem que vinha pegar
Quem é esse homem
Capitão do mato
Quem era esse homem
Capitão do mato
Quem era danado

CAPOEIRA DE ANGOLA MANDOU ME CHAMAR
Capoeira de Angola mandou me chamar
Diga prá ela que eu vou já
Capoeira de Angola mandou me chamar
Não posso demorar, não posso demorar
Capoeira de Angola mandou me chamar
Mandou me chamar, prá poder eu vadiar
Capoeira de Angola mandou me chamar
Mandou me chamar, mandou me chamar

CAPOEIRA DE ANGOLA SE JOGA NO CHÃO
Capoeira de Angola se joga no chão
Se joga com o pé e se joga com a mão
Capoeira de Angola se joga no chão
Se joga no chão, vamos lá meu irmão
Capoeira de Angola se joga no chão
Se joga no alto, se joga no chão
Capoeira de Angola se joga no chão
Se joga com calma, não é agressão

CATARINA MINHA NEGA
Catarina minha nega
Onde está que não te vejo
Catarina minha nega
Está na cozinha do branco
Catarina minha nega
Preparando caranguejo
Catarina minha nega
Ô rala o coco, Sinhá

CHORA VIOLA
Olha chora viola
Chorá
Oi chora viola
Chorá
Chora viola

CORDÃO DE OURO (É BESOURO)
É Besouro
Cordão de ouro
É Besouro
Cordão de ouro
É Besouro

CRUZ-CREDO, AVE MARIA
Cruz-credo, Ave Maria
Quanto mais eu cantava
Ninguém respondia
Cruz-credo, Ave Maria
Essa roda é de mudo
E eu não sabia
Cruz-credo, Ave Maria
Vou levar todo mundo
Para a delegacia

DÁ DÁ DÁ NO NEGO
Dá dá dá no nego
Ô no nego você não dá
Dá dá dá no nego
Mas se der, vai apanhar
Dá dá dá no nego
Esse nego é valente

também:
Dá dá dá no nego
No nego você não dá
Dá dá dá no nego
No nego você não dá
Corta as asas desse nego
Prá dar força a mangangá

DEVAGAR, DEVAGARINHO
Devagar, devagarinho
Eu falei devagar, devagarinho
Devagar, devagarinho
Capoeira de Angola é devagarinho
Devagar, devagarinho
Esso jogo bonito é devagarinho

DISSE QUE SAI, SAI, SAI, SAI
Na praia da Amaralina
Eu vi dois camarões sentados
Falando da vida alheia
Eu disse que sai camarão danado
Eu disse que sai, sai, sai, sai
Sai camarão danado
Eu disse que sai, sai, sai, sai
Sai que eu quero ver

DONA MARIA COMO VAI VOCÊ?

Como vai você, como vai você
Dona Maria como vai você
Ê vai você, vai você
Dona Maria como vai você
Ê como vai, como passou

DONA MARIA DO GAMBOATÁ
Dona Maria do Gamboatá
Do Gamboatá ê do Gamboatá
Dona Maria do Gamboatá
Pega da venda ela manda botar
Dona Maria do Gamboatá
Ela chega na roda e dá salto mortal
Dona Maria do Gamboatá
Ela chega na roda e começa gingar

DONA MARIA QUE VENDE AÍ?
Dona Maria que vende aí?
É coco, pipoca que é do Brasil
Dona Maria que vende aí?
É coco, pipoca que é do Brasil
Dona Maria que vende aí?
É coco, pipoca que é do Brasil


Ê Ê, Ê Ê
Ê ê, ê ê
Eu venci a batalha de Camunjerê
Ê ê, ê ê
Como vai, como está, como vai vosmecê
Ê ê, ê ê
Era eu, era meu mano
Ê ê, ê ê
também:
Aquilo sim que foi amor
Aquilo sim que foi paixão
Eu vi Maria Bonita
Morrer abraçada com Lampião
Ê ê, ê ê
A mulher não nasceu prá sofrer
Ê ê, ê ê
A mulher só nasceu prá prazer
Ê ê, ê ê
A mulher não nasceu prá sofrer

Ê Ê Ê, ZUM ZUM ZUM
Ê ê ê, zum zum zum
Olha a pisada de Lampião
Ê ê ê, zum zum zum
O iaiá Lampião desceu a serra
Ê ê ê, zum zum zum
Do alto da Cajazeira
Ê ê ê, zum zum zum
Ê Maria Bonita viu

É BESOURO
Como é meu nome?
É Besouro
Cordão de ouro
É Besouro

É DE COURO DE BOI
Meu atabaque é
de couro de boi
O meu atabaque é
de couro de boi
Meu atabaque é
de couro de boi
O meu atabaque
E de coro de boi
O meu atabaque
E de coro de boiÉ DE MANHÃ, IDALINA ESTÁ ME CHAMANDO
É de manhã
Idalina está me chamando
Idalina tem um costume
De chamar e sair andando
É de manhã
Idalina está me chamando
Idalina meu amor
Idalina está me esperando
É de manhã
Idalina está me chamando
Idalina meu amor
Idalina está me chmandno

É MACACO
Quebra lami como gê (Quebra milho como gente)
É macaco (é macá)
Quebra lami como gê
É macaco
Quebra lami como gê
É macaco
Quebra conforme a razão
É macaco
Quebra que quebra dendê

É MEU IRMÃO
Camarada o que ele é meu, camarada?
É meu irmão
Irmãozinho de coração, camarada
É meu irmão
Camarada o que ele é meu, camarada?
É meu irmão
Ê irmãozinho de coração, camarada
É meu irmão
Ai ai ai aperta minha mão, camarada

Ê PARANÁ
Ê Paraná
Paraná, Paranaê, Paraná
Ê Paraná
Paraná está no mar, Paraná
Ê Paraná

Ê PINDOMBÊ
Oi o nome do pau
É pindombê
Oi a casca do pau
É pindombê
Oi a folha do pau
É pindombê
Oi a tronco do pau

É PRETO, É PRETO, É PRETO O CALUNGA
É preto, é preto,é preto o calunga
Berimbau é preto o calunga
É preto, é preto,é preto o calunga
Seu Pastinha é preto o calunga
É preto, é preto,é preto o calunga
O saci é preto o calunga
É preto, é preto,é preto o calunga
Capoeira de Angola é preto o calunga

ERA MORAES, ERA PASTINHA
Era Moraes, era Pastinha
Eu vou jogar minha Angolinha
Era Moraes, era Pastinha
Mas era João Grande e era Cobrinha
Era Moraes, era Pastinha
Era Mestre Neco e era Angolinha

ERA UM TAL DE BESOURO MANGANGÁ
Outro dia numa roda
Me chamaram prá jogar
Eu que sou desconfiado
Pude logo reparar
O que estava escrito na camisa de ele
Era um tal de Besouro Mangangá
Ê ê, ê á
Era um tal de Besouro Mangangá
O que estava escrito na camisa, ai meu Deus
Era um tal de Besouro Mangangá
Ê ê, ê á

ESTÁ COM MEDO
Está com medo
Toma coragem
Está com medo
Toma coragem
Está com medo
Toma coragem

EU PISEI NA FOLHA SECA
Eu pisei na folha seca
Eu ouvi fazer chuê chuá
Chuê chuê chuê chuá
Eu ouvi fazer chuê chuá
Chuê chuê chuê chuá
Eu ouvi fazer chuê chuá
Na volta que o mundo dá

EU SOU ANGOLEIRO
Eu sou Angoleiro
Angoleiro é que eu sou
Eu sou Angoleiro
Angoleiro de valor
Eu sou Angoleiro
Angoleiro é meu nome
Eu sou Angoleiro
Angoleiro, sim senhor

EU SOU ANGOLEIRO, EU SOU ANGOLEIRO SEU MOÇO
Eu sou Angoleiro, eu sou Angoleiro, seu moço
Eu sou Angoleiro, seu moço
Eu sou Angoleiro, seu moço
Eu sou Angoleiro, eu sou Angoleiro, seu moço
Eu sou Angoleiro, mano meu
Angoleiro de Angola, seu moço
Eu sou Angoleiro, eu sou Angoleiro, seu moço
Eu sou Angoleiro, seu moço
Sou Mandingueiro, seu moço

EU VI A COTIA COM COCO NO DENTE
Eu vi a cotia com coco no dente
Com coco no dente com coco no dente
Eu vi a cotia com coco no dente
Comendo farinha com cocada quente
Eu vi a cotia com coco no dente
Ê com coco no dente olhando prá gente

FOGO QUEIMOU, FOGO LAMBEU
Fogo queimou, fogo lambeu
Fogo queimou queimou queimou
Fogo queimou, fogo lambeu
Mercado Modelo desapareceu
Fogo queimou, fogo lambeu

GALO CANTOU, ESTÁ NA HORA
Galo cantou, está na hora
Vamos embora pelo mundo fora
Galo cantou, está na hora
Oi me dá meu pandeiro, berimbau e viola
Galo cantou, está na hora
i me dá meu chapéu que eu vou me embora

GAMELEIRA NO CHÃO
Bentiví botou
Gameleira no chão
Botou, botou
Gameleira no chão
Mandei botar
Gameleira no chão
Botou que eu vi

GINGA CABÔCLO
Ginga cabôclo
Quero ver você gingar
Ginga cabôclo
Ginga lá que eu gingo cá
Ginga cabôclo
Ginga lá que eu gingo cá

GUNGA É MEU, GUNGA É MEU
Gunga é meu, gunga é meu
Gunga é meu, eu não dou a ninguém
Gunga é meu, gunga é meu
Gunga é meu, foi papai quem me deu
Gunga é meu, gunga é meu
Na roda da Capoeira

JOGUE COMIGO COM MUITO CUIDADO
Jogue comigo com muito cuidado
Seja manhoso não seja malvado
Jogue comigo com muito cuidado
Jogue com mandinga e com muito cuidado
Jogue comigo com muito cuidado
Com muito cuidado, que estou machucado

JOGO DE ANGOLA, JOGO DE ANGOLA
Jogo de Angola, jogo de Angola
Meu mestre me ensinou, foi jogo de Angola
Jogo de Angola, jogo de Angola
Jogo bonito, esse jogo é de Angola
Jogo de Angola, jogo de Angola
Passei pelo Congo, cheguei em Angola
Jogo de Angola, jogo de Angola
Jogo de mandinga, foi jogo de Angola

JOGO DE DENTRO, JOGO DE FORA
Jogo de dentro, jogo de fora
Jogo bonito é um jogo de Angola
Jogo de dentro, jogo de fora
Valha me Deus minha Nossa Senhora
Jogo de dentro, jogo de fora
Jogo bonito berimbau e viola
Jogo de dentro, jogo de fora
Jogo bonito quero ver agora

LACE O BOI VAQUEIRO
Lace o boi vaqueiro
Não deixe o boi escapar
Lace o boi vaqueiro
Não deixe o boi escapar
Lace o boi vaqueiro
Pega o boi no seu laço

LEMBA Ê LEMBA
Ô lemba ê lemba
Lemba do barro vermelho
Lemba ê lemba
Lemba do barro vermelho
Ai ai ai lemba do barro vermelho
Ai ai ai lemba do vermelho barro
Lemba ê lemba
Lemba do barro vermelho
Lemba do barro que é bom
Lemba do barro maior

MACULELÊ MARACATÚ
Quando o meu filho nascer
Vou perguntar a parteira
O que é que meu filho vai ser
O meu filho vai ser Capoeira
Capoeira capú
Maculelê Maracatú

também:
Lá na festa do Bonfim
Na mudança prá Ribeira
Até o Saci Pererê
Ele jogaba Capoeira
Capoeira capú

também:
Salva festa do Bonfim
Salva festa da Ribeira
Quando vinha Saci Pererê
De uma perna jogar Capoeira
Capoeira capú
Maculelê Maracatú
Mas não é Karatê, não é Kung-Fu
Maculelê Maracatú
Eu fui prá Bahia comer caruru
Maculelê Maracatú
E só encontrei um punhado de angu
Maculelê Maracatú
Eu fui comer caruru e não comer angu

MARÉ MARÉ
Maré Maré
É Maré da beira do mar
Maré Maré
É Maré beira do rio
Maré Maré
É Maré de lua cheia
Maré Maré
É Maré de Guaiamum

MARINHEIRO SOU
Eu não sou daqui
Marinheiro sou
Eu não tenho amor
Marinheiro sou
Eu sou da Bahia
Marinheiro sou
De São Salvador
Marinheiro sou
Marinheiro marinheiro
Quem te ensinou a nadar
Foi o tombo do navio
Foi o balanço do mar
Ô lá vem, lá vem
Como ele vem faceiro
Vem todo de branco
Com seu bonezinho
Pega pega, leva leva
Não sou onda de maré
Oi menino é Capoeira
Sem cair no chão

MATARAM BESOURO DE MARACANGALHA
Mataram Besouro de Maracangalha
Contra faca de ticum a mandinga falha
Mataram Besouro de Maracangalha
Mataram Besouro na traição
Mataram Besouro de Maracangalha
De Maracangalha, de Maracangalha

ME LEVA MORENA, ME LEVA
Oi me leva morena, me leva
Me leva pró seu bangalô
Leva, morena, me leva
Que sou Capoeira de São Salvador
Oi me leva morena, me leva
Me leva pró seu bangalô
Oi me leva morena me leva
Que sou Capoeira, já disse que sou
Oi me leva morena, me leva
Me leva pró seu bangalô
Oi me leva morena me leva
Que hoje faz frio, amanhã faz calor

MEIA HORA
Quero ver você jogar meia hora só
Quero ver você jogar
Meia hora
Quero ver cantar
Meia hora
Prá cá e prá lá

MINHA COMADRE
Até você
Minha comadre
Falou de mim
Minha comadre
Eu não falei
Minha comadre
Falou que eu ví

NO TEMPO DO CATIVEIRO
No tempo do cativeiro
Quando o senhor me batia
Eu rezava pra Nossa Senhora
Como a pancada doia

No tempo do cativeiro
Eu não posso nem me lembrar
O negão só trabalhava
Apanhava pra nada ganhar
No tempo do cativeiro
Quando o senhor me batia
Eu rezava pra Nossa Senhora, ai meu Deus
Como a pancada doia

Mamãe tá me chamando
Vovõ mandou me chamar
No tempo do cativeiro
Capoeira eu quero jogar
No tempo do cativeiro
Quando o senhor me batia
Eu rezava pra Nossa Senhora, ai meu Deus
Como a pancada doia

Mamãe tá me chamando
Vovõ mandou me chamar
Essa roda sagrada o garoto
Capoeira eu quero jogar
No tempo do cativeiro
Quando o senhor me batia
Eu rezava pra Nossa Senhora, ai meu Deus
Como a pancada doia

No tempo do cativeiro
Eu não posso nem me lembra
O negão só trabalhava
Apanhava sem nada ganhar

FOI AGORA QUE EU CHEGUEI
Foi agora que eu cheguei
Mandaram me chamar
Para ver os angoleiros
Pra poder nós vadiar
Foi agora que eu cheguei Mandaram me chamar Para ver os angoleiros Pra poder nós vadiar
Eh, quando eu chego num salão
trato logo de louvar
Pai e Filho e Espirito Santo
Bom Jesus e Mariá
Foi agora que eu cheguei Mandaram me chamar Para ver os angoleiros Pra poder nós vadiar
Oi, meu Senhor me dê licença
o seu salão pra eu vadiar
foi agora que eu cheguei
salve o dono do lugar
Foi agora que eu cheguei Mandaram me chamar Para ver os angoleiros Pra poder nós vadiar
Oi, vim aqui pra vadiar
vim aqui pra vadiar
Capoeira é só de Angola
isso não posso negar    

 

ADESU
Adeus, adeus
coro - Boa viagem
Eu vou me embora
coro - Boa viagem
Eu vou com Deus
coro - Boa viagem
E com Nossa Senhora
coro - Boa viagem
Adeus, adeus
coro - Boa viagem
Berimbau vai embora
coro - Boa viagem
Ele vai com Deus
coro - Boa viagem
E com Nossa Senhora
coro - Boa viagem
Adeus, adeus
coro - Boa viagem
O pandeiro vai embora
coro - Boa viagem
Ele vai com Deus
coro - Boa viagem
E com Nossa Senhora
coro - Boa viagem
Adeus, adeus
coro - Boa viagem
O agogô vai embora
coro - Boa viagem
Ele vai com Deus
coro - Boa viagem
E com Nossa Senhora
coro - Boa viagem
Adeus, adeus
coro - Boa viagem
O reco-reco vai embora
coro - Boa viagem
Ele vai com Deus
coro - Boa viagem
E com Nossa Senhora
coro - Boa viagem
Adeus, adeus
coro - Boa viagem
O atabaque vai embora
coro - Boa viagem
Ele vai com Deus
coro - Boa viagem
E com Nossa Senhora
coro - Boa viage
Adeus
coro - Boa viagem
Ô, Deus
coro - Boa viagem

 

MINHA RAINHA, SEREIA DO MAR/ JANAINA RAINHA, SEREIA DO MAR
Minha rainha, sereia do mar
não deixa meu barco virar
Minha rainha, sereia do mar
Não deixe meu barco virar
O vento vai soprando, as águas não puxando
O barco balançado, querendo me levar
Minha rainha, sereia do mar
Não deixe meu barco virar
O vento vai soprando, as águas não puxando
O barco balançado, querendo me levar

também:
Minha mãe Janaina, sereia do mar
Não deixe meu barco virar
Minha mãe Janaina, sereia do mar
Não deixe meu barco virar
Minha mãe Janaina, sereia do mar
Não deixe meu barco virar

MISERICÓRDIA SÃO BENTO
Misericórdia São Bento
Buraco velho tem cobra dentro
Misericórdia São Bento
Issa cobra me morde São Bento
Misericórdia São Bento
Buraco velho tem cobra dentro

MOLEQUE É TU
Oi é tu que é moleque
Moleque é tu
Quem é que é moleque
Moleque é tu
Me chama de moleque

MULHER MULHER
Mulher mulher
Seja o que Deus quiser
Mulher mulher
Vai em frete, tenha fé
Mulher mulher
Chuva forte cai em pé
Mulher mulher
Vai em frete, tenha fé

NEM TUDO QUE RELUZ É OURO
Nem tudo que reluz é ouro
Nem tudo que balança cai
Nem tudo que reluz é ouro
Nem tudo que balança cai
Cai cai, cai cai
Capoeira de Angola não cai
Cai cai, cai cai
Capoeira balança mas não cai
Cai cai, cai cai
Capoeira balança mas não cai
Cai cai, cai cai
Nem tudo que reluz é ouro
Nem tudo que balança cai
Nem tudo que reluz é ouro
Nem tudo que balança cai
Cai cai, cai cai
Capoeira de Angola nunca cai
Cai cai, cai cai

NHEM NHEM NHEM
Ô menino chorou
Nhem nhem nhem
Ô chora menino
Nhem nhem nhem
É menino chorão
Nhem nhem nhem
Cale a boca menino

Ô DALÍ, POR QUE VOCÊ NÃ0 FALOU
Ô dalí, por que você não falou
Por que você não falou, aiaiai
Por que você não falou
Ô dalí, por que você não falou
Por que você não falou, mano meu
Capoeira me chamou
Ô dalí, por que você não falou
Por que você não falou, ô iaiá
Por que você não falou

Ô DORALICE NÃO ME PEGUE NÃO
Ô Doralice não me pegue não
Não me pegue, não me agarre
Não me pegue não
Ô Doralice não me pegue não
Não me pegue, não me pegue
Não me pegue não
Ô Doralice não me pegue não
Não me pegue, não me abrace
Que eu não gosto não
Ô Doralice não me pegue não
Não me pegue ou só me pegue
No meu coração
Ô Doralice não me pegue não


O FAROL DA BAHIA QUEIMOU
O farol da Bahia queimou
Queimou, queimou, queimou
O farol da Bahia queimou
O farol da beira mar
O farol da Bahia queimou
Queimou, queimou, queimou

Ô IAIÁ, O SINHÔ ESTÁ CHAMANDO
Ô iaiá, o sinhô está chamando
O sinhô está chamando, ô iaiá
Está chamando prá jogar, ô iaiá
Ô iaiá, o sinhô está chamando
O sinhô mandou dizer, ô iaiá
Prá você não demorar, ô iaiá
Ô iaiá, o sinhô está chamando
Capoeira de Angola, ô iaiá
Só não joga quem não quer, ô iaiá
Ô iaiá, o sinhô está chamando
Lá no céu tem três estrelas, ô iaiá
Todas três em carreirinha, ô iaiá
Ô iaiá, o sinhô está chamando
Uma é minha, outra é sua, ô iaiá
A outra vai ficar sozinha, ô iaiá

Ô LELÊ (O LAÊ LAÊ LÁ)
Luanda ê pandeiro
Ô Luanda ê Pará
Teresa samba deitada
Ô Idalina samba de pé
Ô lá no cais da Bahia
Na roda de Capoeira
Não tem lelê, não tem nada
Não tem lelê, nem lalá
Ô laê laê lá
Ô lelê
Ô laê laê lá
Ô lelê
Ô laê laê lá

Ô MÃE, AMANHÃ EU VOU
Ô mãe, amanhã eu vou
Ô mãe, amanhã eu vou lá
Vou prá Ilha de Maré
Amanhã eu chego lá
Ô mãe, amanhã eu vou
Ô mãe, amanhã eu vou lá
Vou prá Ilha de Maré
Vou ver angoleiro mandingar
Ô mãe, amanhã eu vou
Ô mãe, amanhã eu vou lá
Vou prá Ilha de Maré
Vou ver angoleiro jogar

Ô MARIMBONDO, Ô MARIMBONDO
Ô marimbondo, ô marimbondo
Me deu sinal
Marimbondo me mordeu
Me deu sinal
Oi que zoa marimbondo

Ô ME DÁ MEU DINHEIRO VALENTÃO
Ô me dá meu dinheiro
Ô me dá meu dinheiro, Valentão
Ô me dá meu dinheiro, Valentão
Porque no meu dinheiro
Ninguém põe a mão
Ô me dá meu dinheiro
Ô me dá meu dinheiro, Valentão
Ô me dá meu dinheiro, Valentão
Que eu lhe dou uma rasteira
E derrubo no chão
Ô me dá meu dinheiro
Ô me dá meu dinheiro, Valentão
Ô me dá meu dinheiro, Valentão
Porque no meu dinheiro
Ninguém põe a mão

O MEU BOI MORREU
O meu boi morreu
Na passagem do valão
Ô iaiá na passagem do valão
O meu boi passou lá, não voltou não
O meu boi morreu
Na passagem do valão
Cobra sucuri comeu meu boi
Ô iaiá na passagem do valão
O meu boi morreu
Na passagem do valão
Foi na passagem do valão
Ô iaiá na passagem do valão

Ô NEGA QUE VENDE AÍ?
Ô nega que vende aí
É coco do norte que vem do Brasil
Ô nega que vende aí
Que vende aí, vende aí
Ô nega que vende aí
É arroz do Maranhão

O PÉ PELA MÃO
Juntaram tres prá bater no nego
Juntaram tres prá bater num nego só
Trouxeram faca, porrete e facão
Mas nesse nego ninguem bate não
Troca mão pelo pé
O pé pela mão
Troca mão pelo pé
O pé pela mão
Troca pé pela mão
a mão pelo pé

Ô SANTA BÁRBARA QUE RELAMPUÊ
Ô Santa Bárbara que relampuê
Ô Santa Bárbara que relampuá
Ô Santa Bárbara que relampuê
Que relampuê, que relampuá
Ô Santa Bárbara que relampuê
Que relampuê, que relampuá

OI BESOURO PRETO MALVADO
Oi Besouro preto
Oi Besouro preto malvado
Oi Besouro preto malvado
Oi Besouro preto Bará
Oi Besouro preto
Oi Besouro preto malvado
Oi Besouro preto malvado
Oi Besouro preto Bará

OI BOJÃO, OI BOJÃO, OI BOJÃO
Oi Bojão, oi Bojão, oi Bojão
Jogue no chão, mas não suje o portão
Oi Bojão, oi Bojão, oi Bojão
Capoeira de Angola não tem agressão
Oi Bojão, oi Bojão, oi Bojão
É um toque com o pé, outro toque com a mão
Oi Bojão, oi Bojão, oi Bojão
Capoeira de Angola é um aperto de mão
Capoeira de Angola vem do coração
Capoeira de Angola é jogada no chão
 
OI DALI LÁ / Ô IDALINA
Tira daqui, bota ali
Oi dali lá
Tira de lá, bota cá
Oi dali lá
Cuidado prá não quebrar

OI SIM, SIM, SIM, OI NÃO, NÃO, NÃO
Oi sim, sim, sim
Oi não, não ,não
Oi sim, sim, sim, oi não, não, não
Oi sim, sim, sim
Oi não, não, não
Oi sim, sim, sim, oi não, não, não
Mas hoje tem, amanhã não
Olha a pisada de Lampião
Oi sim, sim, sim, oi não, não, não
Mas hoje tem, amanhã não
Mas hoje tem, amanhã não

OI SINHÔ SÃO BENTO
Essa cobra me morde
Oi sinhô São Bento
Essa cobra é malvada
Oi sinhô São Bento
Essa cobra mordeu
Oi sinhô São Bento
Ê a malícia da cobra
Essa cobra venenosa
Mas que cobra valente
Mas cuidado com a cobra
E a cobra me morde

OLHE O NEGO SINHÁ
Ê lá vai o nego
Olhe o nego sinhá
Olha lá um nego
Olhe o nego sinhá
Esse nego é danado
Ele é Capoeira

ONDA VAI, ONDA VEM
Onda vai, onda vem
Onda miúda não mata ninguém
Onda vai, onda vem
Nessa onda eu vou também
Onda vai, onda vem
Olha onda da maré
Onda da beira do mar

ONDE VAI CAIMÃO
Onde vai caimão
Caimão caimão
Onde vai caimão
Vai prá Ilha de Maré
Onde vai caimão
Vou jogar a Capoeira
Lagoa do Abaeté
Caimão caimão

PARANAÊ, PARANAÊ, PARANAÊ
Vou dizer minha mulher, Paraná
Capoeira me venceu, Paraná
Paranaê, Paranaê, Paraná
Ela então bateu (me surrou) pé firme, Paraná
Isso nunca aconteceu, Paraná
Paranaê, Paranaê, Paraná
Paraná, Paranaê, Paraná
Paraná, Paranaguá, Paraná
Paranaê, Paranaê, Paraná
Minha mãe está me chamando, Paraná
Vê que vida de moleque, Paraná
Paranaê, Paranaê, Paraná
Quem tem roupa vai na missa, Paraná
Quem não tem faz como eu, Paraná
Paranaê, Paranaê, Paraná
Eu nasci, foi na pobreza, Paraná
Na pobreza eu morrerei, Paraná
Paranaê, Paranaê, Paraná
A mulher pra ser bonita Paraná
Nao precisa se pintar, Paraná
 Paranaê, Paranaê, Paraná
Quem não pode com mandinga
Não carrega patuá, Paraná
Paranaê, Paranaê, Paraná
Quem não pode com Besouro
Não assanha mangangá, Paraná

PASSEI POR AQUI
Passei por aqui para ver o que é
Cheguei aqui agora
Mas eu quero vadiar
Passei por aqui para ver o que é
Cheguei aqui agora, mas eu quero vadiar
Eu quero vadiar, mas eu quero vadiar
Meu sinhô, me dê licença
Seu salão prá eu vadiar
Passei por aqui para ver o que é
Cheguei aqui agora, mas eu quero vadiar
Eu quero vadiar, eu quero vadiar
Eu moro muito longe
Mata tenho que passar

PAU ROLOU, CAIU
Pau rolou, caiu
Lá por cima da mata
E ninguém viu
Pau rolou, caiu
E ninguém viu
Ninguém viu
Pau rolou, caiu
Lá por cima da mata
E ninguém viu

PÉ DENTRO, PÉ FORA
Pé dentro, pé fora
Quem tem pé pequeno é que vai embora
Pé dentro, pé fora
Quem tem pé pequeno vai embora
Pé dentro, pé fora
Esse jogo é bonito, esse jogo é de Angola

PÉ DE LIMA, PÉ DE LIMÃO
Pé de lima, pé de limão
Esse amor é meu, está dizendo que não
Está dizendo que sim
Está dizendo que não
Esse amor é meu, está dizendo que não
Pé de lima, pé de limão
Esse amor é meu, está dizendo que não
Está dizendo que sim
Está dizendo que não
Pé de lima, pé de limão

PEGUE ESSE GUNGA / APANHA ESSE GUNGA
Pegue esse gunga, me vende ou me dê
Esse gunga é meu
Eu não posso vender
Pegue esse gunga, me vende ou me dê
Esse gunga é meu,
Eu não dou a ninguém
Pegue esse gunga, me vende ou me dê
Esse gunga é meu
Foi meu pai quem me deu
Pegue esse gunga, me vende ou me dê
Esse gunga é meu
Só não dá prá vender

PEGUE ESSE NEGO, DERRUBA NO CHÃO
Pega esse nego, derruba no chão
Esse nego é valente Esse nego é um cão
Pegue esse nego, derruba no chão
Derruba esse nego
Conforme a razão
Pegue esse nego, derruba no chão
Ele é mandingueiro
Ele é valentão
Pegue esse nego, derruba no chão

PERERÊ PERERÊ
Diguidum Pererê
Pererê Pererê
É Angola no pé
Pererê Pererê
O Saci Pereré

PINGO DE OURO
Por favor Pingo de Ouro
Por favor não me jogue no chão
Por favor não me jogue no chão
Por favor não me jogue não
Por favor Pingo de Ouro
Por favor não me jogue no chão
Por favor Pingo de Ouro
Por favor não me jogue no chão
Por favor não me jogue no chão
Por favor não me jogue não
Por favor Pingo de Ouro
Por favor não me jogue no chão

POMBA VOOU, POMBA VOOU
Pomba voou, pomba voou
Pomba voou, gavião pegou
Pomba voou, pomba voou
Gavião era esperto e a pomba voou
Pomba voou, pomba voou
Oi a pomba voou, voou, voou

POR FAVOR MEU MANO
Por favor meu mano
Eu não quero barulho aqui não
Eu não quero barulho aqui não
Pois barulho só traz confusão
Por favor meu mano
Eu não quero barulho aqui não
Eu não quero barulho aqui não
Pois barulho só traz confusão

PRÁ LAVAR MINHA ROUPA NÃO TEM SABÃO
Prá lavar minha roupa não tem sabão
Não tem sabão, não tem sabão
Prá lavar minha roupa não tem sabão
Não tem sabão, não tem sabão
Prá lavar minha roupa não tem sabão
Não tem sabão, colega não

QUANDO VIM NA BAHIA, VIM SÓ
Quando eu vim na Bahia, eu vim só
Quando vim na Bahia, vim só
Deixei pai, deixei mãe, deixei avó
Quando vim na Bahia, vim só
Eu vim só, mas eu vim só

QUE NAVIO É ESSE, QUE CHEGOU AGORA
Que navio é esse, que chegou agora
É o navio negreiro, traz escravos de Angola
Que navio é esse, que chegou agora
É o navio negreiro, traz a Capoeira Angola
Que navio é esse, que chegou agora
É o navio negreiro, ele vem lá de Angola
Que navio é esse, que chegou agora
É o navio negreiro, traz guerreiros de Angola

QUEBRA GEREBA
Quebra quebra gereba
Vou quebrar tudo hoje

Amanhã nada quebra


Quebra quebra gereba
vou quebrar todo hoje
amanhá que é que quebra

também:
Quebra tudo hoje, quebrá
Amanhã nada quebra, quebrá
Quebra gereba, quebrá
Vou quebrar tudo hoje, quebrá
Quebra gereba, quebrá
Amanhã nada quebra, quebrá

QUEM NUNCA VIU, VENHA VER
Quem nunca viu, venha ver
Licuri quebrar dendê
Quem nunca viu, venha ver
Ô venha ver para aprender
Quem nunca viu, venha ver
Ô venha ver, oi venha ver
Ai meu Deus licuri quebrar dendê
Isse jogo de mandinga
Capoeira de Angola
Capoeira mandingueira

QUEM QUISER ME VER, VAI NA PIEDADE AMANHÃ
Quem quiser me ver
Vai na Piedade amanhã
Vai na Piedade amanhã
Vai na Piedade amanhã
Quem quiser me ver
Vai na Piedade amanhã
Vai na Piedade amanhã
Vai na Piedade amanhã

QUEM VEM LÁ SOU EU
Quem vem lá sou eu
Quem vem lá sou eu
Berimbau bateu
Angoleiro sou eu
Quem vem lá sou eu
Quem vem lá sou eu
Berimbau bateu
Angoleiro sou eu
Eu venho de longe
Venho da Bahia
Jogo Capoeira
De noite e de día
Quem vem lá sou eu
Quem vem lá sou eu
Berimbau bateu
Angoleiro sou eu
sou eu sou eu
Quem vem lá
sou eu bembenuto
Quem vem lá
Montado a cavalo
Que vem lá
Fumando charuto

SAI, SAI CATARINA
Sai, sai Catarina
Saia do mar, venha ver Idalina
Sai, sai Catarina
Ê Catarina venha ver
Sai, sai Catarina
Dou um nó e escondo a ponta
Sai, sai Catarina
Prá outro não desatar
Catarina meu amor

SAIA DO MAR, MARINHEIRO
Saia do mar
Saia do mar, marinheiro
Saia do mar, marinheiro
Saia do mar, estrangeiro
Saia do mar
Saia do mar, marinheiro
Vou me embora pró estrangeiro
Amanhã vou embarcar, marinheiro
Saia do mar
Saia do mar, marinheiro
Se você quiser me ver
Jogue seu navio no mar, marinheiro

SALOMÉ, SALOMÉ
Salomé, Salomé
Homem pequeno é ladrão de mulher
Salomé, Salomé
Ladrão de mulher, ladrão de mulher
Salomé, Salomé
Homem pequeno é ladrão de mulher

SANTA MARIA MÃE DE DEUS
Santa Maria Mãe de Deus
Cheguei na igreja e me confessei
Santa Maria Mãe de Deus
Cheguei na igreja e não me confessei
Santa Maria Mãe de Deus
Me confessei e não me confessei
Entrei na igreja e me confessei

SANTO ANTÔNIO É PROTETOR
Santo Antônio é protetor
É protetor é protetor
Santo Antônio é protetor
Da barquinha de Noé
Santo Antônio é protetor
Protetor de mais de mil
Santo Antônio é protetor
Protetor dos Angoleiros
Protetor do meu amor

SERRA COMADRE, SERRA COMADRE
Serra comadre, serra comadre
Serra comadre a cabeça do padre
Serra comadre, serra comadre
Serra comadre, olha aí berimbau
Serra comadre, serra comadre
Berimbau, berimbau, berimbau, berimbau
Serra comadre, serra comadre
Serra comadre a cabeça do padre
Olha aí angolinha

SEU PASTINHA MANDOU FALAR
Seu Pastinha mandou falar
Que dois meninos ele ia deixar
Seu Pastinha mandou falar
Um se chama João Pequeno
Outro se chama João Grande
Seu Pastinha mandou falar
Mandou falar, mandou falar

SOLTA MANDINGA Ê, SOLTA MANDINGA
Solta mandinga ê, solta mandinga
Solta mandinga ê mandingueiro, solta mandinga
Solta mandinga ê, solta mandinga
Solta mandinga ê Capoeira, solta mandinga
Solta mandinga ê, solta mandinga
Jogo de Angola ê, é jogo de mandinga

SOU ANGOLEIRO QUE VEM DE ANGOLA
Sou Angoleiro que vem de Angola
Jogo prá Deus e prá Nossa Senhora
Sou Angoleiro que vem de Angola
Que vem de Angola, que vem de Angola
Sou Angoleiro que vem de Angola
Tocando atabaque, pandeiro e viola

SOU EU MAITÁ
Sou eu Maitá
Sou eu Maitá, sou eu
Na roda da Capoeira
Sou eu Maitá, sou eu
Sou eu Maitá
Sou eu Maitá, sou eu
Sou eu Maitá, sou eu
Sou eu Maitá, sou eu
Sou eu Maitá
Sou eu Maitá, sou eu

SOU HOMEM, NÃO SOU MOLEQUE
Ô dendê ô dendê
Ô dendê ô dendê
Ô dendê de ar amarelo
Ô dendê Ilha de Maré
Eu vou dizer a dendê
Sou homem, não sou moleque
Manda dizer a dendê
Sou homem, não sou moleque
Eu vou dizer a dendê

TABARÉU QUE VEM DO SERTÃO
Tabaréu que vem do sertão
Que vende quiabo, maxixe e limão
Tabaréu que vem do sertão
Que vem do sertão, Tabaréu meu irmão
Tabaréu que vem do sertão
Que vende maxixe e quiabo e limão
Vendendo maxixe, abobora e mamão

TEM DENDÊ, TEM DENDÊ
Tem dendê, tem dendê
Capoeira de Angola tem dendê
Tem dendê, tem dendê
Jogo de Angola também tem dendê
Tem dendê, tem dendê
Tem dendê de Maria
Casa nova tem dendê

TIM TIM TIM ARUANDÊ
Tim tim tim Aruandê
Aruanda cabôco é mungunjê
Tim tim tim Aruandê
Aruanda, Aruanda, Aruandê
Tim tim tim Aruandê
Aruanda, Aruanda, é prá valer
Tim tim tim Aruandê
Aruanda, Aruanda é mandingueiro
Aruanda, Aruanda é Angoleiro

TIM TIM TIM LÁ VAI VIOLA
Ê tim tim tim lá vai viola
Viola meu bem, violá
Tim tim tim lá vai viola
Viola, viola, violinha
Tim tim tim lá vai viola
É tim tim, tim tim tim lá vai viola
Ê lá vai viola

TÔ DORMINDO, TÔ SONHANDO
Tô dormindo, tô sonhando
Estão falando mau de mim
Tô dormindo, tô sonhando
Na roda de Capoeira
Tô dormindo, tô sonhando
Quem falou não está longe

UMA VOLTA SÓ
Ô iaiá mandou dar
Uma volta só
Oi a volta que der
Uma volta só
Oi a volta que dá

URUBU PENEIROU
Urubu peneirou
Foi na galha do pau
Urubu peneirou
Ô na galha do pau
Urubu peneirou
Foi na galha do pau
também:
Urubu peneirou
Foi na galha do pau
Urubu peneirou

VALHA-ME DEUS, SINHÔ SÃO BENTO
Ê valha-me Deus, sinhô São Bento
Eu vou jogar meu Barravento
Valha-me Deus, sinhô São Bento
Buraco velho tem cobra dentro
Valha-me Deus, sinhô São Bento
Ê menino tome cuidado
Valha-me Deus, sinhô São Bento
Essa é minha opinião

VAMOS EMBORA CAMARADA
Vamos embora camarada
Está na hora de ir embora
Vamos embora camarada
Galo cantou, está na hora
Vamos embora camarada
Vamos com Deus e com Nossa Senhora

VEADO CORRENDO NO MATO É BOI
Veado correndo no mato é boi
É boi é boi é boi
Veado correndo no mato é boi
É boi é boi é boi
Veado correndo no mato é boi
Ai ai ai é boi é boi

VEM JOGAR MAIS EU / VEM BRINCAR MAIS EU
Vem jogar mais eu
Vem jogar mais eu, mano meu
Vem jogar mais eu, mano meu
Vem jogar mais eu, mano meu
Vem jogar mais eu,
Vem jogar mais eu, mano meu
Vem jogar mais eu, mano meu
Vem jogar mais eu, meu irmão

VOU BATER QUERO VER CAIR (OLA OLAÍ)
Ola olaí
Vou bater quero ver cair
Ola olaí
Vou bater quero ver cair
também:
Ola olaí
Vou bater quero ver cair
Ola olaí
Quando bato quero ver cair
Ola olaí
Era eu era meu mano

VOU DIZER AO MEU SINHÔ QUE A MANTEIGA DERRAMOU
Vou dizer ao meu sinhô
Que a manteiga derramou
Ô a manteiga não é minha
É da filha do Ioiô
Vou dizer ao meu sinhô
Que a manteiga derramou
A manteiga não é minha
A manteiga é do sinhô
Vou dizer ao meu sinhô
Que a manteiga derramou
A manteiga derramou
Caiu no chão e se espalhou
Vou dizer ao meu sinhô
Que a manteiga derramou
A manteiga derramou
Caiu na água e molhou

VOU ME EMBORA, VOU ME EMBORA
Vou me embora, vou me embora
Vou ali, eu volto já
Vou me embora, vou me embora
Vou ali, que volto já
Vou prá Ilha de Maré
Vou ali, eu volto já
Vou me embora, vou me embora
Vou ali, que volto já
Bom Jesus dos Navegantes
Só navega pelo mar
Vou me embora, vou me embora
Vou ali, que volto já
O sinhô me da licença
Seu salão prá vadiar
também:
Vou me embora, vou me embora
Vou me embora prá Angola
Vou me embora, vou me embora
Vou me embora prá Angola
Vou prá Ilha de Maré
Vou ali e volto já

VOU VENDER COCO SINHÁ
Vou vender coco sinhá
Coco sinhá, coco Paraná
Vou vender coco sinhá
Coco sinhá, coco Paraná

XÔ XÔ MEU CANÁRIO
Xô xô meu canário
Meu canário é cantador
Xô xô meu canário
Bateu asa e voou
Xô xô meu canário
Foi embora e me deixou
Xô xô meu canário
Meu canarinho é da Alemanha
Foi alemão quem me mandou

ZUM ZUM ZUM É GAFANHOTO
Ê zum zum zum é gafanhoto
Jogo de dentro é Angola garoto
Zum zum zum é gafanhoto
Solta Mandinga na roda seu moço
Zum zum zum é gafanhoto
É gafanhoto é gafanhoto
Zum zum zum é gafanhoto 

QUANDO A MARÉ BAIXAR
Quando a maré baixar, vou ver Juliana eh, vou ver Juliana ah, vou ver Juliana...
Não chore por mim Juliana
Não é bom ficar assim,
Nem o mar, nem o oceano
vai tirar você de mim.
Quando a maré baixar, vou ver Juliana eh, vou ver Juliana ah, vou ver Juliana...
 Severista qué o dinheiro
Pra podê me atravessar
Eu nao tenho mais dinheiro
Pra pagar pra embarcá
Quando a maré baixar, vou ver Juliana eh, vou ver Juliana ah, vou ver Juliana...
Como eu nao tenho dinheiro
O remedio é esperar
Bate palma, palma, palma
Bate pé, pé, pé
Quando a maré baixar, vou ver Juliana eh, vou ver Juliana ah, vou ver Juliana...
Carangueijo so é peixe
Na vazante da maré
É melhor esperá sentado
Do que esperá em pé
Quando a maré baixar, vou ver Juliana eh, vou ver Juliana ah, vou ver Juliana...
As estrelas no ceu correm
Eu tamben queru correr
As estrelas atras da lua
eu atras do meu bem quer
 
 

A bananeira caiu
Meu facão bateu em baixo
A bananeira caiu
Cai cai, bananeira
A bananeira caiu
Meu facão era amolado
A bananeira caiu
Era amolado dos dois lados
A bananeira caiu
Cai cai de qualquer maneira
A bananeira caiu

Abre a roda mina gente, que o batuque é diferente
É tumba, menino é tumba
É tumba para derrubar
Tiririca faca de ponta
Capoeira quer me pegar
Dona Rita do Tabuleiro
Quem derribou meu companheiro
Abre a roda mina gente
Que o batuque é diferente
Abre a roda mina gente
Que o batuque é diferente

A canoa virou, marinheiro
A canoa virou, marinheiro
lá no fundo do mar tem dinheiro
A canoa virou, marinheiro
Ô se virou deixa virar
A canoa virou, marinheiro
Lá no fundo do mar tem segredo
A canoa virou, marinheiro

Ai, ai aidê
Ai, ai aidê
Jogo bonito que eu quero ver
Ai, ai aidê
Aidê aidê cadê você
Ai, ai aidê
Capoeira de Angola não é Karaté
Ai, ai aidê
Olha jogo manhoso que eu quero aprender
Ai, ai aidê
Como vai, como passo, como vai vosmicê?
Ai, ai aidê
Aidê aidê aidê aidê
Ai, ai aidê

Anu não canta em gaiola
Anu não canta em gaiola
Nem bem dentro nem bem fora
Anu não canta em gaiola
Anu só canta em furmigueiro
Anu não canta em gaiola
Cuando ve formiga fora
Anu não canta em gaiola
Anu não canta em gaiola
Anu não canta em gaiola
Nem bem-ti-vi nem gavião
Anu não canta em gaiola

A onça morreu, o mato e meu
A onça morreu, o mato e meu
O mato e meu, o mato e meu
A onça morreu, o mato e meu
A onça morreu agora o mato é meu
A onça morreu, o mato e meu
Ô era eu era meu mano
A onça morreu, o mato e meu
Nos pegamos uma demanda
A onça morreu, o mato e meu
Nem ele venceu nem eu
A onça morreu, o mato e meu
 
Apanha laranjá no chão, tico-tico
Apanha laranjá no chão, tico-tico
Se meu amor foi-se embora eu não fico
Apanha laranjá no chão, tico-tico
minha toalha é de renda de bico
Apanha laranjá no chão, tico-tico
Não apanha com a mão, apanha com o bico
Apanha laranjá no chão, tico-tico
Não e com a mão, nem com o pé, e com o bico
Apanha laranjá no chão, tico-tico
Tava na corda, caiu no pénico
Apanha laranjá no chão, tico-tico
Capoeira de Angola e bem mais bonito
Apanha laranjá no chão, tico-tico
Na uma, nas duas, nas três eu não fico
Apanha laranjá no chão, tico-tico

Bahia de todos os Santos:
Bahia de todos os Santos, Bahia dos Orixás
Bahia de Mãe Menininha, Menininha do Gantois
Bahia de todos os Santos, Bahia dos Orixás
Bahia de Mãe Menininha, Menininha do Gantois
Bahia de Joao Pequeño, Bahia de Curió
Bahia de Boca Rica, Mestre Lua de Bobó
Bahia de todos os Santos, Bahia dos Orixás
Bahia de Mãe Menininha, Menininha do Gantois
Eu nasci foi nessa terra, nessa terra eu me criei
Terra boa hospitalera, dentro dela eu morreré
Bahia de todos os Santos, Bahia dos Orixás
Bahia de Mãe Menininha, Menininha do Gantois

Berimbau bateu ,angoleiro me chamou
Berimbau bateu
Angoleiro me chamou
Vou me embora que é noite
Eu não posso demorar
Eu não posso demorar
Eu não posso demorar
Minha aldeia é muito longe
Na beira do mar
Berimbau bateu
Angoleiro me chamou
Vou me embora que é noite
Eu não posso demorar
Que eu não posso demorar
Que eu não posso demorar
Eu moro muito longe
Mata eu tenho que passar
Berimbau bateu
Angoleiro me chamou
Vou me embora que é noite
Eu não posso demorar
Que eu não posso demorar
Que eu não posso demorar
Moro muito longe
Vamos logo vadiar
Berimbau bateu
Angoleiro me chamou
Vou me embora que é noite
Eu não posso demorar

Berimbau tocou, vai ter jogo de angola ioio
Berimbau tocou
vai ter jogo de angola ioio
vai ter jogo de angola ioio
vai ter jogo de angola iaia
berimbau tocou,
vai ter jogo de angola ioio
vai ter jogo de angola ioio
na senzala de angola iaia
berimbau tocou,
vai ter jogo de angola ioio
Ô desenrola ese jogo ioio
desenrola essa jogo iaia
berimbau tocou,
vai ter jogo de angola ioio
vai ter la no Pelourinho ioio
tambén la na Riveira iaia
berimbau tocou,
vai ter jogo de angola ioio
vai ter jogo de dentro ioio
vai ter jogo de fora iaia
berimbau tocou,
vai ter jogo de angola ioio
ôi desenrola ese jogo ioio
na cadencia de angola iaia
berimbau tocou,
vai ter jogo de angola ioio

Bom Jesus da Lapa é, Bom Jesus da Lapa
Bom Jesus da Lapa é, Bom Jesus da Lapa
Bom Jesus da Lapa é, Bom Jesus da Lapa
Bom Jesus dos Navegantes que só navega pelo mar
Bom Jesus da Lapa é, Bom Jesus da Lapa 
Eu tambem sou marinheiro, também quero navegar 
Bom Jesus da Lapa é, Bom Jesus da Lapa

enlazar con:  

É da Lapa, é da Lapa
É da Lapa, é da Lapa
Lapa é Lapa 
é da Lapa. é da Lapa
Lapa é Lapa 
é da Lapa. é da Lapa 
  
Chama eu, chama eu 
Chama eu, chama eu 
Chama eu Angola, chama eu!
Chama eu, chama eu  
Chama eu, Angola  chama eu!
Chama eu, chama eu  
 
Côco mironga que tem dendêo también:Côco mironga coité dendê
Côco mironga que tem dendê
olha solta mandinga que eu quero ver
Côco mironga que tem dendê
Esse jogo de angola que eu quero aprender
Côco mironga que tem dendê
Tem dendê, que é pra valer
Côco mironga que tem dendê
Olha jogo bonito é bom de se ver
Côco mironga que tem dendê
Essa cobra é danada ela pode morder
Côco mironga que tem dendê
 
Como é bonita a pisada do caboclo
Como é bonita a pisada do caboclo
Como é bonita a pisada do caboclo
Ele pisa por cima da pisada do outro
Como é bonita a pisada do caboclo
Como é bonita a pisada do caboclo
Ele pisa na areia de um lado pro outro
Fumando charuto e cantando pro povo
Como é bonita a pisada do caboclo
Como é bonita a pisada do caboclo
Ele pisa por cima no rastro do outro
Ele pisa n aterra no rastro do outro
 
Cruz credo, Ave Maria
Cruz credo, Ave Maria
Quanto mais eu cantava ninguém respondia
Cruz credo, Ave Maria
Essa roda é de mudo, e eu não sabia
Cruz credo, Ave Maria
Eu rezava de noite, eu rezava de dia
Cruz credo, Ave Maria
Eu rezava e cantava, e ninguém respondia
Cruz credo, Ave Maria
Vou levar todo mundo pra delegacia
Cruz credo, Ave Maria
Eu cantava e cantava mais ninguém respondia
Cruz credo, Ave Maria

Dendê o dendê
Dendê o dendê, dendê é de angola
angola é de dendê 
Dendê o dendê, dendê é de angola
angola é de dendê
Dendê o dendê, dendê é de angola
angola é de dendê
Dendê o dendê, dendê é de angola
angola é de dendê
Mestre Pastinha
Foi embora
Mestre Waldemar
Foi embora
Cobrinha Verde 
Foi embora
Foi para o céu com Deus morar 
Dendê o dendê, dendê é de angola
angola é de dendê
 
Deus que me deu, Deus que me dá
Deus que me deu, Deus que me dá
Paz e saúde para eu trabalhar
Deus que me deu, Deus que me dá
Força e amor para eu vadiar
Deus que me deu, Deus que me dá
É Deus quem de deu, é Deus quem me dá
Deus que me deu, Deus que me dá
Vida e saúde pra nós vadiar
Deus que me deu, Deus que me dá
Todo que eu tenho foi meu Deus quem me deu
Deus que me deu, Deus que me dá
Jogo bonito pra nós vadiar
Deus que me deu, Deus que me dá
 
Dona maria seu gato deu
Dona Maria seu gato deu
Deu uma tapa na cara do meu
Dona Maria seu gato deu
Seu gato deu, seu gato dá
Dona Maria Seu gato deu 

Doralice não me pegue não
Ô Doralice não me pegue não
Não me pegue não me agarre no meu coração
Ô Doralice não me pegue não
Não me pegue, não me deixe no meio do chão 
Ô Doralice não me pegue não 
 
E E, E E eu venci a batalha do camugerê
E E, E E eu venci a batalha do camugerê
E E, E E eu venci a batalha do camugerê
Como vai, como tá, como vai vosmece
E E, E E eu venci a batalha do camugerê  
Era eu era meu mano
E E, E E eu venci a batalha do camugerê
Era meu mano mais eu  
E E, E E eu venci a batalha do camugerê
E E E tum tum tum
E E E tum tum tum
Olha a pisada do Lampião
E E E tum tum tum
Lampião desceu a serra
E E E tum tum tum
Foi buscar Maria Bonita
E E E tum tum tum
Maria mulher guerreria
E E E tum tum tum
Canganceira de valor
E E E tum tum tum
Olha a pisada do Lampião
E E E tum tum tum
Lampião desceu a serra
E E E tum tum tum
Do alto da Cajáceira
E E E tum tum tum
É de manhã, Idalina tá chamando
É de manhã, Idalina tá chamando
Idalina tem o costume, de chamar e vai andando
É de manhã, Idalina tá me chamando
O Idalina meu amor Idalina tá me esperando
É de manhã, Idalina tá me chamando
Idalina tem o costume danado de falar de homem
É de manhã, Idalina tá me chamando
Idalina meu amor, Idalina tá me esperando
É de manhã, Idalina tá me chamando
Idalina tem o costume,danado de falar de homem
É de manhã, Idalina tá me chamando

Eu fui no Santo Antonio
Eu fui no Santo Antonio, Santo Antonio cheguei la
Para ver a Boca Rica, Boca Rica vadiar
Eu fui no Santo Antonio, Santo Antonio cheguei la
Para ver a Boca Rica, Boca Rica vadiar
Eu fui no Santo Antonio, Santo Antonio eu cheguei la
Para ver os angoleiros, angoleiros vadiar
Eu fui no Santo Antonio, Santo Antonio cheguei la
Para ver a Boca Rica, Boca Rica vadiar

É facão que corta cana
É facão que corta cana
Cana não corta facão
É facão que corta cana
Cana do canavial
É facão que corta cana
Cana não corta facão
É facão que corta cana

Ele usava uma calça rasgada
Ele usava uma calça rasgada
Hoje usa um terno de lino
Chapeu Panama importado
Sapato de couro, bico cor de vino
Ele usava uma calça rasgada
Hoje usa um terno de lino
Chapeu Panama importado
Sapato de couro, bico cor de vino
Ele usava uma calça rasgada
Hoje usa um terno de lino
Chapeuzinho Panama importado
Sapato de couro, bico cor de vino
Ele usava uma calça rasgada
Hoje usa um terno de lino
Chapeu Panama importado
Sapato de couro, bico cor de vino

 Eu sou angoleiro/a
Eu sou angoleiro
Angoleiro de valor
Eu sou angoleiro
Angoleiro sim sinhor
Eu sou angoleiro
Que meu Mestre me ensinou
Eu sou angoleiro
Angoleiro de Salvador
Eu sou angoleiro
Angoleiro e meu nome
Eu sou angoleiro
Toco gunga é agogo
Eu sou angoleiro
Viola, atabaque é pandeiro
Eu sou angoleiro
Angoleiro é o que eu sou
Eu sou angoleiro

Eu tenho que ir-me embora
Eu tenho que ir-me embora, não posso demorar
A maré ta cheia, eu não posso navegar
Eu tenho que ir-me embora, não posso demorar
Eu moro muito longe, mata tenho que passar
Eu tenho que ir-me embora, não posso demorar
A maré ta cheia, eu não posso navegar
Eu tenho que ir-me embora, não posso demorar
Eu não posso demorar, não posso demorar
Eu tenho que ir-me embora, não posso demorar

Eu vi a cutia com coco no dente
Eu vi a cutia com coco no dente
com coco no dente, com coco no dente
Eu vi a cutia com coco no dente
comendo farinha com cocada quente
Eu vi a cutia com coco no dente
com coco no dente, com coco no dente
Eu vi a cutia com coco no dente
Comendo farinha é olhando pra gente
Eu vi a cutia com coco no dente
com coco no dente, com coco no dente

Eu vi jararaca no cajueiro
Eu vi jararaca no cajueiro,
olhei pra ela, ela me viu primeiro
Eu vi jararaca no cajueiro
No cajueiro, ô no cajueiro
Eu vi jararaca no cajueiro
Ela me viu primeiro
Eu vi jararaca no cajueiro
Meu senhor mandou matar
Eu vi jararaca no cajueiro
No cajueiro, ô no cajueiro

Eu vou para Angola, vou ficar em Luanda
Eu vou pra Angola, vou ficar em Luanda 
Vou ficar em Luanda e capital de Angola e a 
Eu vou pra Angola, vou ficar em Luanda  
Vou ficar em Luanda e capital de Angola
Eu vou pra Angola, vou ficar em Luanda    

ÊÉ (é pra homem, menino é mulher)
Eu conheci Mestre Bimba,
conheci Canjiquinha e também Seu Maré
Êé
Eles falaram prá mim
Êé
Capoeira é prá homem, menino é mulher
Êé
É prá homem é mulher
Êé
Capoeira ela é
Êé

Eu pisei na folha seca
Eu pisei na folha seca, eu ouvi fazer chuê chuá
Chuê chuê chuê chuá
Eu vi fazer chuê chuá
Quemnão pode com mandinga não carrega patuá
Eu vi fazer chuê chuá
Chuê chuê chuê, chuê chuê chuá
Eu vi fazer chuê chuá
Você diz que dá no negó, no negó você não dá
Eu vi fazer chuê chuá
Quemnão pode com Besouro não assanha Mangangá
Eu vi fazer chuê chuá
Ô chuê para lá, Ô chuê para cá
Eu vi fazer chuê chuá

Eu vou-me embora, tindolelê, de baixo da água ninguém me vê
Eu vou-me embora, tindolelê,
De baixo da água ninguém me vê,
Eu vou-me embora, tindolelê,
De baixo da água ninguém me vê,
De baixo da água ninguém me vê,
Por cima das ondas eu vejo você
Eu vou-me embora, tindolelê,
De baixo da água ninguém me vê

 Foi no balanço foi no remelexo
Foi no balanço foi no remelexo
Que eu vi o siri derrubar caranguejo
Foi no balanço foi no remelexo
Mais foi no balanço foi no remelexo
Foi no balanço foi no remelexo
Que eu vi o siri carregar caranguejo
Foi no balanço foi no remelexo
Que eu vi o siri bater no caranguejo
Foi no balanço foi no remelexo

Gunga é meu, gunga é meu
Gunga é meu, gunga é meu
O gunga é meu eu não do para ninguem
Gunga é meu, gunga é meu
Gunga é meu foi papai quem me deu
Gunga é meu, gunga é meu
O gunga é meu eu não a ninguem
Gunga é meu, gunga é meu

Mandingueiro Mandingueiro
Mandingueiro MandingueiroOnde esta mandingueiro
Mandingueiro Mandingueiro
Si vocé é mandingueiro
Mandingueiro Mandingueiro
Quero ver voce jogar
Mandingueiro MandingueiroMe chama mandingueiro
Mandingueiro Mandingueiro
Cadê mandingueiro
Mandingueiro Mandingueiro
Mandinga mandinga
Mandingueiro Mandingueiro
cadê sua mandinga
Mandingueiro Mandingueiro
cadê vem pra aca
Mandingueiro Mandingueiro
deixe mandinga jogar
Mandingueiro Mandingueiro
cadê mandingueiro
Mandingueiro Mandingueiro
me chama mandingueiro
Mandingueiro MandingueiroMe deixa, me deixa
Me deixa, me deixa
me deixa vadiar me deixa
Me deixa, me deixa
Ôme deixa mandingar, me deixa
Me deixa, me deixa
Me deixa vadiar, me deixa
Me deixa, me deixa

Meu barco virou la no meio do mar
Meu barco virou la no meio do mar
Si nao fosse angoleiro, colega meu, eu nao tinha saido de la
Meu barco virou la no meio do mar
Si nao fosse mandingueiro, colega meu, eu nao tinha saido de la
Meu barco virou la no meio do mar
Quem não pode com mandinga, não carrega patuá

Meu pandeiro furou
Meu pandeiro furou, meu pandeiro furou na verada
Ô meu pandeiro furou na verada, meu pandeiro furou na verada
Meu pandeiro furou, meu pandeiro furou na verada
Meu pandeiro furou, meu pandeiro furou na verada
Meu pandeiro furou, meu pandeiro furou na verada

Meu papagaio morreu na enxente da maré
Meu papagaio morreu na enxente da maré,
Urupaco, papaco, papaco
Meu loro não sabe o que é
Urupaco, papaco, papaco 
Meu loro não sabe o que é
Urupaco, papaco, papaco 
Ô meu loro não sabe o que é
Urupaco, papaco, papaco

Minha sereia rainha do mar, não dexei meu barco virar
Minha sereia rainha do mar, não dexei meu barco virar
Não deixei meu barco virar, não deixei meu barco virar
Minha sereia rainha do mar, não dexei meu barco virar
Não deixei meu barco virar, minha mãe Janaina sereia do mar
Minha sereia rainha do mar, não dexei meu barco virar
O barco esta balançando, esta querendo me levar
Minha sereia rainha do mar, não dexei meu barco virar

Não corte capim aí
Não corte capim aí
Só corte cuando eu mandar
Capineiro
Le le le le le lé
Capineiro
Le le le le le a
Capineiro
Solta madinga e
Capineiro
Solta madinga e

No tempo do cativeiro
No tempo do cativeiro cuando o senhor me batia
Eu rezava pra nossa senhora, meu Deus, como a pancada doia
No tempo do cativeiro cuando o senhor me batia
Eu rezava pra nossa senhora, meu Deus, como a pancada doia
No tempo do cativeiro cuando o senhor me batia
Eu rezava pra nossa senhora, meu Deus, como a pancada doia
No tempo do cativeiro cuando o senhor me batia
Eu rezava pra nossa senhora, meu Deus, como a pancada doia
Trabalha nego, nego trabalha
Trabalha nego para não apanhar
Trabalha nego, nego trabalha
Trabalha nego paranão apanhar

Ogum salve a batalha do batalhador
Ogun salve a batalha do batalhador
Do batalhador do trabalhador
Ogum salve a batalha do batalhador
Do trabalhador do batalhador
Ogum salve a batalha do batalhador
Nossa senhora me ajude
Ogum salve a batalha do batalhador
Nosso senhor ja me ajudou
Ogum salve a batalha do batalhador

Ô mãe, amanhã eu vou,
Ô mãe, amanhã eu vou,
Ô mãe, amanhã eu vou lá
Ô mãe, amanhã eu vou
Ô mãe, amanhã chegou lá
vou pra ilha de Maré
vou ver os angoleiros vadiar
Ô mãe, amanhã eu vou
Ô mãe, amanhã chegou lá
Se você quiser me ver
ponha seu navio no mar
Ô mãe, amanhã eu vou
Ô mãe, amanhã chegou lá
Vou-me embora, Vou-me embora
tão cedo nãovenho cá
Ô mãe, amanhã eu vou
Ô mãe, amanhã chegou lá
 
Ô mamãe nego ta me futucando
Ô mamãe negro ta me futucando
Cuanto mais nego futuca a mandinga vai entrado, o mamãe
Ô mamãe nego ta me futucando
Futuca da aquí futuca de lá, que a mandinga vai entrando
Ô mamãe nego ta me futucando
 
Onda vai, onda vem
Onda vai, onda vem
Onda miúda não mata ninguém
Onda vai, onda vem
Nessa onda eu vou também
Onda vai, onda vem
Olha onda da maré
Onda vai, onda vem
Onda da beira do mar
Onda vai, onda vem

Paraná ê, Parana ê, Paraná
Vou dizer minha mulher, Paraná, Capoeira me venceu, Paraná
Paraná ê, Parana ê, Paraná
Vou me embora pra Bahia, Paraná, Eu aqui não fico não, Paraná
Paraná ê, Parana ê, Paraná
Eu sou braço de Maré, Paraná, Mais eu sou maré sem fim, Paraná
Paraná ê, Parana ê, Paraná
Minha mãe chama Maria, Paraná, Lavadeira de Najé, Paraná
Paraná ê, Parana ê, Paraná

Pau rolou, caiu
Pau rolou caiu
Por cima da mata ninguem viu
Pau rolou caiu
Lá na mata ninguem viu
Pau rolou caiu

Por cima do mar
Por cima do mar eu vim
Por cima do mar eu vou voltar
Por cima do mar eu vim
Por cima do mar eu vou voltar
Ô por cima de mar eu vim
Com as ondas do mar vou navegar
Por cima do mar eu vim
Por cima do mar eu vou voltar
Ôoo por cima do mar eu vou voltar
Bom Jesus de Maria
Por cima do mar eu vim
Por cima do mar eu vou voltar

Por favor não deixe meu barco virar
Por favor não deixe meu barco virar
Por favor não deixe meu barco virar
Por favor não deixe meu barco virar
Por favor não deixe meu barco virar
Êee por favor não deixe virar
Por favor não deixe virar
Por favor não deixe meu barco virar
Por favor não deixe meu barco virar
Êee por favor não deixe virar
Minha mae Janaina seria do mar
Por favor não deixe meu barco virar
Por favor não deixe meu barco virar
Por favor não deixe virar
Eu não quero meu barco se afundar

Piri piri azedou
Piri piri azedou
Ôo Piri piri azedou
Botou na panela
Azedou
Moleque comeu
Azedou
Ô que cara feia
Azedou
Não madureceu
Azedou
Ôi piri piri
Azedou
O menino comeu
Azedou
A mulher não gostou
Azedou

Pé dentro, pé fora
Pé dentro, pé fora
Quem tiver pé péqueno, vai embora
Pé dentro, pé fora
Quem tiver pé péqueno, vai embora
Pé dentro, pé fora
 
Pisa no chão, pisa maneiro
Pisa no chão, pisa maneiro
Si não pode com furmiga, não assanha furmigueiro
Pisa no chão, pisa maneiro
Si não pode com mandinga, não assanha mandingueiro
Pisa no chão, pisa maneiro
Quem não pode não asanha, não asanha angoleiro
Pisa no chão, pisa maneiro

Quando a maré baixar
Quando a maré baixar,
Quando a maré baixar eu vou
Quando a maré baixar,
Quando a maré baixar eu vou
Quando a maré baixar,
Quando a maré baixar eu vou

Quando a maré baixar,vou ver Juliana
Quando a maré baixar,
Vou ver Juliana
Vou ver Juliana aê, vou ver Juliana
Quando a maré baixar,
Vou ver Juliana
Vou ver Juliana aê, vou ver Juliana
Quando a maré baixar,
Vou ver Juliana
Vou ver Juliana aê, vou ver Juliana

Que navio é esse?
Que navio é esse que chegou agora?
É o navio negriero que vem trazendo kilombolas
Que navio é esse que chegou agora?
É o navio negreiro que traz capoeira angola
Que navio é esse que chegou agora?
É o navio negreiro, que vem lá de Angola, ô lele
Que navio é esse que chegou agora?
É o navio negreiro que tras guerreiros de Angola
Que navio é esse que chegou agora?

Quem não sabe andar, pisa no massapé escorrega
Quem não sabe andar
Pisa no massapé escorrega
Pisa no massapé escorrega
Pisa no massapé escorrega
Quem não sabe andar
Pisa no massapé escorrega
 
Quem nunca viu, venhá ver
Quem nunca viu, venhá ver
Licuri quebrar dendê
Quem nunca viu, venhá ver
O venhá ver para aprender
Quem nunca viu, venhá ver
O venhá ver, o venhá ver
Quem nunca viu, venhá ver
Licuri é corpo mole e o duro é dendê
Quem nunca viu, venhá ver 

Quem quiser me ver, arrodeia o mar três vezes
Quem quiser me ver, arrodeia o mar três vezes
Quem quiser me ver, três  vezes arrodeia o mar
Quem quiser me ver, arrodeia o mar três vezes
Quem quiser me ver, três  vezes arrodeia o mar
Vou me embora, vou me embora, mas eu tenho que passar
Mas se você quiser me ver, três vezes arrodeia o mar
Quem quiser me ver, arrodeia o mar três vezes
Quem quiser me ver, três  vezes arrodeia o mar

Quem vem lá?
Quem vem lá, Sou eu
Quem vem lá, Sou eu
Berimbau bateu
Angoleiro sou eu
Quem vem lá, Sou eu
Quem vem lá, Sou eu
Berimbau bateu
Angoleiro sou eu

Mas eu venho de longe
Eu venho da Bahia
Jogo capoeira
Meu mestre é Pastinha
Quem vem lá, Sou eu
Quem vem lá, Sou eu
Berimbau bateu
Angoleiro sou eu

Ê sou eu, sou eu
Quem vem lá
Sou eu Benvenuto
Quem vem lá
Montado a cavalo
Quem vem lá
Fumandocharuto*
Quem vem lá

*charuto = puro

Sabiá cantou
ô sabiá cantou, la no pé da laranjeira
sabiá cantou
Si cantou deixa cantar
Sabiá cantou
na ladeira miudinho
sabiá cantou
Na ladeira do Peló
sabiá cantou
Cantou cantou cantou

Saia do mar, saia do mar marinheiro
Saia do mar, saia do mar marinheiro
Saia do mar marinheiro, saia do mar estrangeiro
Saia do mar, saia do mar marinheiro
Oaia saia do mar marinherio, venha pra acá estrangeiro
Saia do mar, saia do mar marinheiro
saia do mar marinheiro, vem vadiar angoleiro
Saia do mar, saia do mar marinheiro
Saia do mar marinheiro,saia do mar estrangeiro
Saia do mar, saia do mar marinheiro

Sai do Congo,passei por Angola
Sai do Congo,passei por Angola
Cheguei aqui hoje,quiero vadiar Angola
Cheguei aqui agora quero vadiar Angola
Sai do Congo,passei por Angola
Cheguei aqui hoje,quiero vadiar Angola

Quero vadiar Angola quero vadiar Angola
Cheguei do Congo passei por Angola
Sai do Congo,passei por Angola
Cheguei aqui hoje,quiero vadiar Angola

E tenho que ir embora não possó demorar
A maré ta enchendo meu barquinho vai navegar
Sai do Congo,passei por Angola
Cheguei aqui agora,quiero vadiar Angola
Quero vadiar Angola quero vadiar Angola
Por favor me da licença , quero vadiar Angola

Santo Antônio é protetor
Santo Antônio é protetor
É protetor é protetor
Santo Antônio é protetor
Da barquinha de Noé
Santo Antônio é protetor
Protetor de todos nois
Santo Antônio é protetor
Protetor de mim tambem
Santo Antônio é protetor
Protetor dos Angoleiros
Santo Antônio é protetor
Protetor do meu amor

Santa Barbara que relampuê:
Ô Santa Bárbara que relampuá
Ô Santa Bárbaraque relampuê
que relampuê, que relampuá
Ô Santa Bárbara que relampuê
que relampuê, que relampuá
Ô Santa Bárbaraque relampuê
que relampuê, que relampuá
Ô Santa Bárbaraque relampuê
Ô que relampuê, que relampuá
Ô Santa Bárbaraque relampuê

São Bento me ajude, me libre do mal
São Bento me ajude, me libre do mal
Essa cobra danada, seu veneno é mortal
São Bento me ajude, me libre do mal
Cobra malvada seu veneno é mortal
São Bento me ajude, me libre do mal

Serra a cabaça, espalha a semente
Serra a cabaça, espalha a semente,
a língua do povo é que fala da gente,
Serra a cabaça, espalha a semente
espalha a semente, espalha a semente,
Serra a cabaça, espalha a semente
o jogo de Angola é o jogo da gente,
Serra a cabaça, espalha a semente
O Mestre Pastinha ja espalhou a semente
Serra a cabaça, espalha a semente
A língua do povo só fala da gente

Serra comadre, serra compadre
Serra comadre, serra compadre
Serra comadre a cabeça do padre
Serra comadre, serra compadre
Serra comadre a cabeça do padre
Serra comadre, serra compadre

Seu moço, seu moço
Seu moço, seu moço
Carangueijo apressado nasceu sem pescoço
Seu moço, seu moço
Meu mestre ja me dizia
Seu moço, seu moço
Devagar também é pressa
Seu moço, seu moço
Na roda de capoeira
Seu moço, seu moço
Nunca deu seu golpe em vão

Sobrado de mamãe
O sobrado de mamãe
é debaixo d’água
O sobrado de mamãe
é debaixo d’água

Debaixo d’água
por cima da areia
Debaixo d’água
por cima da areia

Tem ouro mamãe, tem prata
Tem diamantes
que nos alumeia
Tem ouro, tem prata
Tem diamantes
que nos alumeia
 
Tabaréu que vem do sertão
Tabaréu que vem do sertão
Vendendo maxixe, quiabo e limão
Tabaréu que vem do sertão
Que vem do sertão Tabaréu meu irmão
Tabaréu que vem do sertão
Capoeira de angola é um aperto de mão
Tabaréu que vem do sertão
É coco do norte que vem do sertão
Tabaréu que vem do sertão
Que vem do sertão com a mala na mão
Tabaréu que vem do sertão
Que vem do sertão, terra de Lampião
Tabaréu que vem do sertão
Capoeira de angola não é agressão
Tabaréu que vem do sertão

Tamanduá, como vai coroa
Tamanduá, como vai coroa
Tamanduá, como vai coroa
Tamanduá, como vai coroa
Ôoo Tamanduá
Como vai Coroa
Tamanaduá
Como vai Coroa

Tem dendê, tem dendê
Tem dendê, tem dendê
O jogo de Angola tem dendê
Tem dendê, tem dendê
No jogo de baixo tem dendê
Tem dendê, tem dendê
Tem dendê que é para valer
Tem dendê, tem dendê
O Mestre Pastinha tem dendê
Tem dendê, tem dendê
O Mestre Joao Grande tem dendê
Tem dendê, tem dendê
O jogo de Angola tem dendê
Tem dendê, tem dendê
Tem dendê voce vem ver
Tem dendê, tem dendê
O jogo de dentro tem dendê

Tim, Tim, Tim, aruandê:
Tim, Tim, Tim, aruandê
Aruanda, Aruanda, aruandê
Tim, Tim, Tim, aruandê
Aruanda, batalha de vencer
Tim, Tim, Tim, aruandê
Aruanda pra mim e pra você
Tim, Tim, Tim, aruandê
Aruanda, Aruanda, Aruanda
Tim, Tim, Tim, aruandê
Aruanda e ferro de bater

Tim tim tim la vai viola
Tim tim tim la vai viola
Lelele la vai viola
Tim tim tim la vai viola
Solta mandinga, mandinga de angola
Tim, Tim, Tim, la vai viola
Esse jogo bointo e o jogo de angola
Tim, Tim, Tim, la vai viola
Lelele la vai viola
Tim, Tim, Tim, la vai viola
Ô lelele la vai viola
Tim, Tim, Tim, la vai viola

Toma cuidado toma juízo: o también:toma cuidado menino taquino
Toma cuidado toma juízo
calça de homem não da em menino
Toma cuidado toma juízo
homem é homem, menino é menino
Toma cuidado toma juízo
nunca ví calça de homem dá em menino   
Toma cuidado toma juízo  

Tudo o que eu vejo calado é melhor
Fui la no mato, para tirar cipó
Tudo o que eu vejo calado é melhor
Calado é melhor, calado é melhor
Tudo o que eu vejo calado é melhor
Calado é melhor, mais calado é melhor
Tudo o que eu vejo calado é melhor

Vamos fazer um jogo de compadre
Vamos fazer um jogo de compadre
Nem eu te bato nem você me bate
Vamos fazer um jogo de compadre
Jogo de compadre jogo de comadre
Vamos fazer um jogo de compadre
Nem eu te bato nem você me bate
Cadê meu campadre cadê meu compadre  

Vou pra ilha de Maré
Meu amor me chamou
Vou pra ilha de Maré
Eu vou, eu vou
Vou pra ilha de Maré
Meu amor me chamou
Vou pra ilha de Maré
Olha, diga ela que eu vou
Vou pra ilha de Maré
Eu vou, eu vou
Vou pra ilha de Maré
Levo meu berimbau
Vou pra ilha de Maré
Levo meu agogô
Vou pra ilha de Maré

Vou vender côco sinhá
Vou vender côco sinhá
Côco sinhá que vem do Paraná
Vou vender côco sinha
Côco sinhá, olha côco sinhá
Vou vender côco sinhá
Côco é pipoca que vem do Paraná
Vou vender côco sinhá
Côco ta seco ta bom para rala
Vou vender côco sinhá
Bom Jesús dos Navegantes, bom Jesús de Maria
Vou vender côco sinhá

Xô xô sabiá
Xô xô sabiá
Deixa fruta madurar
Xô xô sabiá
Sabiá da laranjeira
Xô xô sabiá

xô xô meu canário
xô xô meu canário
Meu canário é cantador
xô xô meu canário
Alemão quem me mandou
xô xô meu canário
Bateu asa é voou
xô xô meu canário
Ô canarinho de Alemanha
xô xô meu canário
Nunca mais aqui voltou

 

Iê !

Eu vou ler o beabá

Eu vou ler o beabá

O beabá do berimbau

A cabaça e o caxixi

E um pedaço de pau

A moeda e o arame

Está aí um berimbau

Berimbau é um instrumento

Berimbau é um instrumento

Feito de uma corda só

Prá tocar São Bento Grande

Toque Angola é o tom maior

Agora acabei de crer

Que o berimbau é o maior

Camaradinha...

Iê !

Ê maior é Deus

Ê maior é Deus

Pequeno sou eu

O que tenho, foi Deus que me deu

O que tenho, foi Deus que me deu

Na roda da Capoeira, ra ra

Grande pequeno sou eu

Iê !

Bahia minha Bahia

Capital é Salvador

Quem não conhece a Capoeira

Não pode dar seu valor

Capoeira vem da áfrica

Africanos quem nos trouxeram

Todos podem aprender

General e também doutor

Quem desejar aprender

Vem aqui em Salvador

Procure o Mestre Pastinha

Ele é o professor

Camaradinha...

A quem me escuta eu vou dizer

Vou fazer um juramento

Elevar a Capoeira

Até lá no firmamento

Alegrar a seu Pastinha

Seu antigo pensamento

Vou dar glória à essa arte

Pelo seu merecimento

Capoeira é arte e luta

Dependendo do momento

Eu não nego meu colega

Eu não nego meu colega

Nessa vida eu tive sorte

Isso eu hei de conseguir

Antes que me chegue a morte

Iê !

Anu não canta em gaiola (bis)

Nem bem dentro, nem bem fora

Só canta no formigueiro

Quando vê formiga fora

Quando eu aqui cheguei (bis)

A todos eu vim louvar

Vim louvar a Deus primeiro

E os moradores deste lugar

Agora eu to cantando

Cantando dando louvor

To louvando a Jesus Cristo (bis)

Porque nos abençoou

To louvando e tô rogando

Ao pai que nos criou

Abançoe essa cidade (bis)

Com todos seus moradores

E na roda de capoeira

Abençoe os jogadores

Camaradinha

[*Mestre João*]

Iê !

Ela tem dente de ouro (bis)

Foi eu quem mandei botar

Eu vou rogar uma praga

Pro dente se quebrá

Dela eu não me lembro, O meu Deus

E não quero me lembrá

Das horas amargurada, oi iá iá

Com ela eu conversava

Na beira de uma praia

E um bonito luar

Ela sempre me jurando, o meu Deus

Que a outro não amava

Vim da Ilha de Maré

Jogar em Santa Rita

Duas coisas neste mundo

Que meu coração palpita

É um berimbau roseiro

E uma moça bonita

[*Mestre Waldemar*]

Quando chego no terreiro (bis)

Trato logo de louvar

Louvo a Deus primeiramente

Louvo meu pai Oxalá

Também louvo o pai Xangó

E a rainha do mar

Peço licença Deus de Angola

Me dê o salão prá eu vadiar

Camará

[*Mestre João Grande*]

Iê !

Ai que saudade

Sinto do meu grande mestre (bis)

Se aqui ele estivesse

Isso não acontecia

Todos vocês têm no peito uma Paixão (bis)

Mas paixão igual a minha

Essa não existe não

Trago no peito as marcas da escravidão...

Dos açoites das senzalas

Das noites de solidão

Era um banzo doença de nostalgia

Negros vindo pela sorte

Ou mortos na travessia

Saudade eu tenho

Lá de casa onde morava

Saudade eu tenho

Do reinado onde reinava

Mesmo sem poder Ter casa

Retratei em ladainha

Viva meu mestre

Iê !

Olhe eu amo a capoeira

Olha eu amo de Paixão

Através da capoeira

Digo sim e digo não

Digo não a hipocrisia

Digo não a arrogância

Não também pra opressão

Digo sim pra humildade

Digo sim pra amizade

Pra coisas de coração

Capoeira em minha vida

Me mudou a direção

Hoje eu estou aqui

Amanhã posso estar não

Mas aonde quer que eu vá

Carrego no coração

O toque do berimbau

O toque do agogô

O sonzinho do reco-reco

Do atabaque e do pandeiro

Mesmo se Ter paradeiro

Capoeira largo não

Minha mãe me disse sim

O meu pai me disse não

Esta arte fez de mim

Uma pessoa livre em fim

Capoeira é infinita

Não tem coisa mais bonita

É ginga que vai e vem

Capoeira é meu nome

Capoeira está no sangue

Capoeira é estar bem

Camaradinho

[*Linda*]

Iê !

Eu já vivo enjoado, ô meu Deus

De viver aqui na terra

Amanhã eu vou pra lua

Falei com minha mulher

Ela então me respondeu

Nos vamos se Deus quiser

Vamos fazer um ranchinho, ô meu Deus

Todo cheio de sapé.

Amanhã ás sete horas, ô meu Deus

Nos vamos tomar café.

Eu que nunca acreditei,

Não posso me conformar.

Que a Lua vai á Terra

E a Terra vai pro ar

Tudo isso é conversa

Pra comer sem trabalhar

Mas o senhor, amigo meu, colega velho

Ouça bem o meu cantar

Quem é dono não ciuma

Quem não é quer ciumar

Camarado !

Iê !

Quando eu morrer

Não quero grito e nem mistério

Quando eu morrer

Não quero grito e nem mistério

Quero um berimbau tocando

Na porta do cemitério

E uma fita amarela, oi iaiá

Gravada com nome dela

E ainda depois de morto, oi iaiá

Besouro Cordão de Ouro

Como é que eu me chamo

É Besouro

Como é meu nome

É Besouro

O calado é vencedor

Mas prá quem juízo tem

Quem espera ser fisgado, o meu bem

Não roga praga a ninguém

A mulher é como a cobra

Tem sangue de Peçanha

Deixa o rico na miséria, o meu bem

Deixa o pobre sem vergonha

Vou dizer pra meu amigo

Que hoje a parada é dura

Quem ama mulhé dos outros, o meu bem

Não tem a vida segura

Camaradinho

[*Mestre Canjiquinha*]

Iê !

Meu Deus muito obrigado

Pelo que o senhor me deu A “razão da minha vida”

É o meu maior presente

Meu filho pode chegar

Cê não vai se arrepender

O que eu aprendi no mundo

Eu ensino a você

Cê também vem me ensinar

A amar e proteger

Vem mostrar todos mistérios

Que me unem a você

Esse menino aqui

É retrato do que eu sou

Se ele aprender comigo

Vai ser homem de valor

Vai ser homem de coragem

Ele vai ser vencedor

Vai jogar a capoeira

Que meu mestre me ensinou

Ele vai ser Angoleiro

Vai ser grande jogador, Camará.

Viva meu Deus

[*Dulce Castro*]

Iê !

Olha lá siri de mangue

Todo tempo não tem um

Eu sei que cê não guenta, meu bem

Com a presa do gaiamum

Maré de março

Maré de gaiamum

Entre grandes e pequenos

Hoje não me escapa um

Siri tá se vendo doido

Nas garras do gaiamum

Camará

Iê !

Toda Bahia chorou (bis)

Do dia que a capoeira de Angola

Perdeu seu protetor

Mestre Pastinha foi embora

Oxalá foi que o levou

Lá pra terras de aruanda

Mas ninguém se conformou

Chorou general, menino

Chorou mocinha, doutor

Pretas velhas, feiticeiras

Ogans e Babalão

Berimbau tocou Iûna

Num toque triste de mestre

A capoeira foi jogada

Ao som desta canção

Da boca de mandingueiro

De dentro do coração

E não houve na Bahia

Quem não cantasse esse refrão

Vai lá menino

Mostra o que o mestre ensinou

Mostra que arrancaram a planta

Mas a semente brotou

E se for bem cultivada

Vai dar bom fruto e bela flor

Iê, viva Pastinha

Iê !

Viva Zumbi

O Guerreiro dos Palmares

Viva Zumbi

O Guerreiro dos Palmares

Que transformou sua vida em sangue

Em busca da liberdade

Liberdade já raiou

Igualdade ainda não

O negro é braço forte

É o orgulho da nação

Carregou pedra na cuca

E apanhou sem ser ladrão

A mãe preta inocente

Chorava em aflição

Recorreu a Sinhazinha

E recebeu um empurrão :

"Sai daí, negra maluca,

Tu vai direto pro porão."

Se vocês aqui soubessem

O valor que o negro tem

Pintavam sua pele toda

E ficavam negros também

Camará...

Iê !

Aconteceu, até hoje ainda me lembro

Mas foi num dia de Novembro

Numa sexta-feira treze

Sofrendo durante meses

Mestre Pastinha morreu

Mas para ele, a morte foi euforia

Pois viver aqui na terra

Passou fome e agonia

Bem-dito é o mestre

Que chora sapo e chora mundo

Capoeira está de luto

Porque perdeu seu guardião

Na capoeira, teve fama e teve glória

O seu nome está gravado

Está gravado na memória

Adeus Pastinha

Pois a você canto uma prece

Pois bem que você merece

Iê vai com Deus

Descanse em paz

Camará...

Iê !

Igreja do Bonfim

E Mercado Modelo

Ladeira do Pelourinho, ai ai ai

E a Baixa do Sapateiro

Por falar em Rio Vermelho

Eu me lembrei do Terreiro

Igreja de São Francisco

E a Praça da Sé

Onde ficam as baianas, ai ai ai

Vendendo acarajé

Por falar em Itapuã

E lagoa do Abaeté

Camará...

ô Besouro Preto

ô Besouro Preto bará

ô Besouro Preto bará

ô Besouro Preto bará

ô Besouro Preto

ô Besouro Preto malvado

ô Besouro Preto malvado

ô Besouro Preto danado

ô Besouro Preto

ô Besouro Preto malvado

ô Besouro Preto malvado

ô Besouro Preto danado

Riachão tava cantando bis

Na cidade de Açu

Quando apareceu um negro, o meu bem

Da espécie de urubú

Tinha camisola de sola

Calça de couro crú

Beiços grossos e virados, o meu bem

Como a sola de um chinelo

Um olho muito encarnado

E outro bastante amarelo

Ele chamou Riachão o meu bem

Para vim canta martelo

Riachão arrespondeu

Eu aqui não tô cantando, o meu bem

Com nego desconhecido

Ele pode ser cativo

E andar aqui fugido

Camaradinho

( Mestre Waldemar)

Iê !

Lá no céu vai quem merece

Na terra vale quem tem

A soberba combatida

Foi quem matou Pedro Cem

Deus é pai de nós todos

E eu não sou pai de ninguém

Lá se foi minha fortuna

Exclamava Pedro Cem

Ontem eu fui milionário

Já tive e hoje não tenho

O que ontem me valia

Hoje nem valia tem

Ele dizia nas portas

Uma esmola a Pedro Cem

Quem já teve hoje não tem

A quem eu neguei esmola

Hoje me nega também

Nasceu num berço dourado

Cresceu num colchão macio

Hoje eu morro no relento

Neste mundo e chão frio

A justiça examinando

Os bolsos de Pedro Cem

Encontrou uma muchila

Dentro dela um vintêm

E um letreiro que dizia

Já teve, hoje não tem

Camaradinho

Iê Aruandê

Iê Aruandi

Iê galo cantou

Iê cocorocó

Iê aquinderei

Iê joga pra Qui

Iê joga pra lá

Iê, menino é bom

Iê, sabe jogar

Iê, é mandingueiro

[*Mestre Waldemar*]

Xangô rei de Oyo

Exu é o menssageiro

Omolu senhor Sao bento

Oxossi santo guerreiro

Iansa das tempestades

Janaina rainha do mar

Nana iyaba senhora mae

de todos os Orixas

Ogun o deus da guerra

Oxala santo de fé

Olorum o rei supremo

O senhor do candomblé

Sao Jorge esta de ronda

Salve o guerreiro da fé

Na Umbanda ou na demanda

Ele faz o que quiser

Iê !

Eu não sei como se vive

Nesse mundo enganador

Se fala muito é falador

Se fala pouco é manhoso

Se bater é desordeiro

Se apanha é mofino

Se come muito é guloso

Se não come é mesquinho

Trabalho tem maribonde

Fazer casa no capim

E o vento leva ela, ai meu bem

Maribondo leva fim

Caveira quem te matou, ai meu bem

Foi a língua meu senhor

Um dia tava com sede

Pensava em ser ruim

E eu sempre lhe dizendo

Inveja matou caim

Camaradinha...

Quein quisé pêxe baratu Vá nu poçu da Gamboa

Lá tem siri di mangue I tem siri di coroa

Quan’eu entrá, ocê entra Quan’eu saí, ocê sai

Capenga foi lá in casa Deu dois mi réis a mamãe

Deu trêi mi réis a dindinha

Café i açúc’a vovó Com’eu era mai piqueno

A mim mi deu um vintém

Diga lá colega véi, Tua palava valeu

U’a peda deu na ôta Seu coração deu no meu Aquinderreis !

Vivo no ninho de cobra
sou cobra que cobra não morde
uma cobra conhece outra cobra
não precisa dizer quem é cobra

Vivo no ninho de cobra
sou cobra que cobra não morde


uma cobra conhece outra cobra
não precisa dizer quem é cobra

Vivo no ninho de cobra
sou cobra que cobra não morde


se ela me morde ela morre
e se ela não morde ela foge

Vivo no ninho de cobra
sou cobra que cobra não morde

Sereno cai
Sereno cai
Ralo tanto no cumbuco do balaio
Sereno cai
Sereno cai
Ralo tanto no cumbuco do balaio
 
Quero papai
quero mamãe
quero titia
quero anel
quero dedo
quero linha
sou rapaz não tenho dinheiro
a moça garante o cabelo
cascavel de vareta
é danado pra bater chocalho
papai tu corta caminho
que hoje vai cair orvalho
Ae ae
Ae ao
 Ae ae
Ae ao

Mestre Zé Baiano

Essa cobra lhe morde

Oi sinho Sao Bento

Essa cobra é malvada

Oi sinho Sao Bento

Essa cobra mordeu

Oi sinho Sao Bento

Olha o bote da cobra

Oi sinho Sao Bento

E a malícia da cobra

Oi sinho Sao Bento

E a mordida da cobra

Oi sinho Sao Bento

E o veneno da cobra

Oi sinho Sao Bento

Mas a cobra é danada

Oi sinho Sao Bento

Mas que cobra valente

Oi sinho Sao Bento

Mas cuidado com a cobra

Oi sinho Sao Bento

E a cobra me morde

Oi sinho Sao Bento

Ô meu Deus o que é que eu faço

Para viver nesse mundo.

Se ando limpo sou malandro,

Se ando sujo, sou imundo.

Ô que mundo velho grande, ô iaiá

Ô que mundo enganador.

Se eu digo dessa maneira, ô iaiá

Foi mamãe que me ensinou.

Se não ligo sou covarde,

Se mato sou assassino

Se não falo sou calado, ô iaiá

Se falo sou falador

Se não como sou mesquinho, ô meu Deus

E se eu como sou guloso !

Camarado !

Iê, viva meu Deus

Iê, viva meu mestre !

Iê, viva todos os mestres

Iê, é mandingueiro

Iê, sabe jogar

Iê, a capoeira

Iê, faca de ponta

Iê, faca de furar

(Mestre Paulo Dos Anjos)

Eu já canto a muitos anos (bis)

Não vou em toda função

Arranco ponta de touro, o meu bem

Com essa fúria de leão

Nunca terei ciência, o meu bem

Que é prá mim sem prestação

O diabo respondeu

Você hoje fica sabendo

O peso de um cantadô

A me dever obediência

Conhecer O meu valor

Quando me vê de outra vez

Me chama de professô, a há há

Me diga de onde veio

Me diga prá onde vai

Se é casado ou solteiro

Que trabalho você faz

O diabo respondeu

Eu não tenho superior

Sou filho da liberdade

Eu não conto minha vida, o meu bem

Pois não há necessidade

Eu não sou foragido

Nem vocês autoridade

Camaradinho

Menino que vende aí

Ai meu Deus, é arroz do Maranhão

Meu senhor mandou vender

Oi iáiá na pedra de Salomão

sou discípulo que aprendo

Meu mestre me dá lição

Na roda de capoeira, ai meu deus

Nunca dei meu golpe em vão

No dia que eu me aborreço

Dentro de Itabaianinha

Homem não monta cavalo, oi iá iá

Mulher não deita galinha

Quem será que tá rezando, ai meu Deus

Se esqueceu da ladainha

Camará